Polí­cia

Foto: Divulgação

Por volta das 20h30min da noite do último, sábado, 30, uma ação de combate à criminalidade, deflagrada por policiais civis da Delegacia Estadual de Investigações Criminais – DEIC, de Palmas, com apoio do Grupo de Operações Táticas Especiais Gote e da Polícia Civil do Distrito Federal, sob o comando dos delegados Liliane Amorim Albuquerque e Vinícius Mendes de Oliveira, resultou na prisão de cinco homens acusados de integrar uma quadrilha especializada em assalto a bancos, que pretendia agir no Tocantins.

Danilo Cirqueira de Souza Moura, de 28 anos, vulgo “Morgado”, Eleandro Mota de Deus, vulgo “Dodô”, 29 anos, Márcio Wilke Marques, de 35 anos, vulgo “Pacheco”, Wanderson Pereira dos Santos, vulgo “Magrão”, de 27 anos e Roniclei da Silva Brito, vulgo “Gordo”, de 31 anos, foram presos, quando se encontravam na TO 230, nas proximidades da entrada da cidade de Arapoema, no momento em que se preparavam para efetuar assaltos à agência do Banco do Brasil e a um posto de combustíveis, daquele município.

Conforme a delegada, Danilo, que é considerado o líder do bando, é foragido da Casa de Prisão Provisória de Porto Nacional, onde cumpria pela por extorsão mediante sequestro e, a cerca de 40 dias, fugiu para o Estado do Mato Grosso e, posteriormente, foi para Luziânia-GO, onde reuniu os demais integrantes da quadrilha, que são oriundos de Goiás, Maranhão, Brasília e Pará, no intuito de cometer assaltos a bancos no Tocantins.

De acordo com as investigações da Deic, há alguns dias, o bando criminoso, veio para Miranorte, onde ficaram na casa de Wandeson, local que serviu de base para os integrantes da quadrilha, a fim de iniciar os preparativos para cometer os roubos. Em seguida, os suspeitos foram para Arapoema, onde permaneceram escondidos em uma mata, nos arredores da cidade, aguardando o momento exato de agir.

Por meio do Serviço de Inteligência da Secretaria da Segurança Pública do Tocantins, os policiais civis da Deic e do Gote conseguiram rastrear o paradeiro da quadrilha e, na, na noite do último sábado, chegaram ao esconderijo dos indivíduos e efetuaram a prisão dos mesmos. No momento da abordagem, os suspeitos não reagiram à prisão, mas tentaram se livrar de duas armas de fogo, as quais foram recuperadas pela PC.

No local, os policiais apreenderam dois revólveres calibre 38, quatro barracas, três balaclavas, munições calibre 38, de ponta oca, além de um veículo, VW Gol, de cor prata, que havia sido roubado pelos integrantes da quadrilha, no dia 25de maio, em Santo Antônio do Descoberto-GO e, que seria utilizado nos assaltos a banco.

Ainda segundo a delegada, a quadrilha é especializada na modalidade de roubo a banco conhecida como “Sapatinho”, e pretendia assaltar uma agência bancária dessa maneira, além de efetuar uma explosão à agência do BB de Arapoema. Os policiais civis também apuraram que o bando também planejava sequestrar a proprietária de um posto de combustíveis de Arapoema, a fim de roubar a quantia de R$ 100 mil reais, que ela, supostamente, mantinha em um cofre, bem como uma grande quantidade de jóias que a mulher revendia.

Moura, Mota, Marques, Santos e Brito foram trazido à sede da DEIC, em Palmas, onde foram indiciados pelos crimes de associação criminosa com a finalidade de cometer delitos, porte ilegal de arma de fogo, além de posse de drogas e, após os procedimentos cabíveis, foram encaminhados à Casa de Prisão Provisória de Palmas, onde permanecerão à disposição do Poder Judiciário. Também foram cumpridos os mandados de prisão, em aberto em desfavor de Danilo e Márcio.

Conforme a delegada Liliane Albuquerque, com mais essa ação, a DEIC/ Palmas, desde sua criação, em 2010, já efetuou a prisão de mais de 260 “caixeiros”, que são os assaltantes de banco. “Os índices de roubos a bancos vem sendo reduzidos drasticamente, em todo o Tocantins, em virtude do trabalho contínuo que vem sendo realizado pela DEIC, nos últimos anos. Os crimes que ainda acontecem, são realizados por criminosos de outros Estados, uma vez que os do Tocantins encontram-se, em sua maioria, presos”, afirmou.

Por: Redação

Tags: DEIC, Liliane Albuquerque, Polícia