Campo

Foto: Divulgação

A produção de grãos, em especial a soja, milho e arroz são culturas em expansão no Tocantins. O governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária (Seagro) em parceria com da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) e Unitins Agro, inicia nesta semana, na região do Vale Araguaia, um levantamento para conhecer as demandas no setor de produção de arroz no Estado.

O diagnóstico servirá de base para a implantação do programa de fortalecimento da cadeia produtiva do arroz, que prevê metas para os próximos dez anos. As visitas serão realizadas nos municípios de Lagoa da confusão e Formoso do Araguaia.

Segundo o engenheiro agrônomo da Seagro, Genebaldo Queiroz, a intenção do levantamento é saber quais sãos as demandas necessárias para incentivar a produção de arroz.  “No diagnóstico, iremos voltar às atenções para dois eixos principais: ampliação da área de plantio e as tecnologias aplicadas para alcançar alta produtividade do arroz, e posteriormente, planejar estratégias do programa de aumento da produção da rizicultura”, disse.

“A meta do governo para os próximos anos, 2015 a 2025, é alcançar altos índices de produtividade com tecnologias avançadas, visando um crescimento de 60% na área plantada, aumento em 50% no cultivo de terras altas e 20% nos cultivos irrigados e dobrar a produção de 600 mil para 1200 toneladas de arroz”, projetou o engenheiro agrônomo.

Programa

Nas estratégias de implantação do programa constam diversos incentivos, orientações na escolha da semente para o plantio e a comercialização do arroz. No plano de ações estão inseridas as metas: difusão das culturas de arroz adaptadas; incentivar produtores e beneficiadores de sementes a produzirem sementes certificadas; apoiar projetos de pesquisas e unidades demonstrativas; incentivar o fortalecimento da industrialização da produção no Estado, dentre outras ações de incentivo. 

Produção

O Tocantins é atualmente o terceiro maior produtor de arroz irrigado do Brasil e a expectativa é de que a produção aumente mais 21,83 mil toneladas nesta safra. Já o arroz sequeiro terá um crescimento maior, 21,4%. A aérea destinada para o plantio destes dois tipos de arroz também tem previsão de acréscimo, com a expectativa de mais 3,19 mil hectares. (Ascom Seagro)