Polí­cia

O Ministério Público Estadual (MPE) obteve êxito no julgamento de Lucas Chagas da Silva e David William da Silva Rego, realizado na segunda-feira, 08, na cidade de Araguaína. Os acusados foram condenados a 12 anos de prisão pelo assassinato de Dácyo Dias Pereira, ocorrido em abril de 2014, em frente à boate Zoulk Hall.

Na sustentação oral durante o Tribunal de Júri, o promotor de Justiça Alzemiro Wilson Peres Freitas destacou o motivo fútil do crime. Segundo a investigação, Lucas da Silva recebeu de David Rego uma arma, com a qual realizou diversos disparos contra a vítima, após um desentendimento dentro da boate, quando Dácyo teria pisado no pé da namorada de Lucas.

O caso gerou bastante repercussão na imprensa e comunidade de Araguaína pela forma fria com que os réus cometeram o crime. O regime inicial de cumprimento das penas será o fechado, tanto em razão do tempo para cumprimento da pena quanto pelo fato de o crime de homicídio qualificado ser considerado hediondo.