Polí­tica

Foto: Divulgação

Causou especial impacto o depoimento da presidente do Sindicato dos Servidores da Defensoria Pública, Sabrina Gomes da Cunha, que, segundo o deputado Ricardo Ayres disse na tribuna da Assembleia, denunciou uma suposta farra com o dinheiro público praticada pelos defensores. De acordo com Sabrina, os defensores usariam de forma abusiva das indenizações a que teriam direito por plantões, acumulação e substituição de função para multiplicar o valor de seus proventos que, em alguns casos, chegam a 40 mil reais líquidos.

Para Sabrina, tais usos não se baseariam em lei, mas em resoluções aprovadas pelo Conselho dos Defensores sem o devido registro no Portal da Transparência, uma vez que as indenizações são parte do custeio da máquina e, portanto, não constam como gasto com a folha. Desde a semana passada, a imprensa denuncia que o órgão está atrasado em três meses quanto aos repasses previdenciários dos servidores.

Diante das afirmações, o deputado Ricardo Ayres (PSB) apresentou requerimento em regime de urgência na sessão ordinária desta terça-feira, dia 16, solicitando mais detalhes a respeito do caso. Ele disse que, se confirmadas as irregularidades, os parlamentares podem anular atos administrativos da Defensoria que porventura invadam a competência legislativa da Assembleia. Amélio Cayres (SD) comentou que, frente à denúncia de Sabrina, não é de se estranhar que o órgão esteja com pendências com o Igeprev.