Saúde

Foto: Heitor Iglesias

A violência contra o idoso vem crescendo no Tocantins. Em 2013 foram 87 notificações, enquanto em 2014 um total de 104 casos de violência foi registrado. Este ano dados parciais já apontam 47 casos, conforme o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan).

Dentre os tipos de maus tratos a violência física é a campeã. Em 2013 foram 77 casos deste tipo de violência e em 2014 os registros subiram para 92 casos. Diante da situação, o Governo do Estado, em parceira com Ministério da Saúde, desenvolve ações dentro da Rede de Atenção a Pessoas em Situação de Violência, que visa a melhoria do atendimento ás vítimas.

A Rede vem avançando com a Implantação da Linha do Cuidado de Atenção Integral as Pessoas em Situação de Violência, que realiza visitas técnicas às instituições, adequação á realidade local e criou o Fórum Permanente da Rede de Atenção Integral ás Pessoas em Situação de Violência do Estado.

“Infelizmente o índice de violência contra o idoso vem crescendo e as Unidades Básicas de Saúde (UBS) são as portas de entrada para esse tipo de atendimento, que requer um conjunto de ações intersetoriais”, destacou a coordenadora de Ciclos de Vida da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), Andréia Montalvão.

Qualificação de profissionais

Dentre as ações do Estado para a qualificação dos profissionais no atendimento estão os cursos em atenção integral a pessoas em situação de violência, formação de câmaras técnicas municipais, com implantação de protocolos das redes municipais, assessoria e cooperação técnica e o fortalecimento dos grupos de trabalho da rede estadual.

Vale lembrar que ainda há o intercâmbio interestadual com o Serviço de Atenção Especializada às Pessoas em Situação de Violência Sexual (Savis) da Maternidade Moura Tapajós, de Manaus (AM). Há também um debate sobre o atendimento a população indígena Krahô, Apinajé e Xerente, com ênfase em capacitações e notificações, Cursos de Educação a Distância (EAD) e webconferências pelo Telessaúde/Universidade Federal do Tocantins (UFT).

No Tocantins, nos últimos anos, foram 309 profissionais capacitados na formação de Redes de Atenção. Para este ano, estão programadas oficinas regionalizadas em 30 municípios tocantinenses, além da implantação e implementação, nos hospitais, da Atenção a Pessoas em Situação de Violência Doméstica e Sexual.

Como buscar atendimento

O idoso que sofre violência deve buscar a Unidade Básica de Saúde (UBS) ou hospital mais próximo e informar ao profissional de saúde sobre os maus tratos sofridos. O profissional irá ouvir a vítima e preencher a ficha de notificação, que será enviada aos órgãos competentes, sem identificar o idoso.

O papel do profissional de saúde neste momento é acolher, notificar e cuidar do idoso que é vítima de diversos tipos de violência, além de fazer o encaminhamento para profissionais como psicólogos, médicos e outros.

Para denunciar casos de violência contra o idoso pode ser acionado o Disque 100. (Ascom Sesau)