Polí­tica

Foto: Divulgação

O vereador Lúcio Campelo (PR) usou a tribuna na sessão de quarta-feira, 24, para criticar as instalações do PreviPalmas, que estaria cedendo salas para abrigar secretarias da administração municipal. "É um absurdo o funcionário público ter que tirar recursos da própria previdência para bancar secretarias do prefeito Amastha. Demonstrando total desrespeito da gestão com o funcionalismo", afirmou. 

Estão instaladas no prédio do PreviPalmas: a Escola de Gestão, Junta Médica, Departamento de Compras e Licitações e Departamento de Controle Interno. "Isso é ruim para o PreviPalmas, a presidente tinha que pôr pra correr. O compromisso dela é com a previdência, ela está lá por competência, e quem tem competência cumpre a Lei", declarou Campelo. 

Após a sessão na Câmara, o vereador dirigiu-se às instalações do PreviPalmas e conversou com a presidente Wally Macedo Vidovix, que tomou posse em abril deste ano, e ao identificar o uso das dependências por órgãos da administração municipal está buscando resolver o problema. Segundo ela a solução será fazer um "condomínio", onde os órgãos públicos "pagarão aluguel para o Instituto e dividirão as despesas". 

Campelo discorda:"Se pode alugar salas para órgãos municipais, pode alugar pra qualquer outra pessoa. O prefeito precisa tirar de lá de dentro os orgãos do município porque é proibido por Lei". 

Segundo o vereador, um servidor municipal o procurou para relatar preocupação em relação a situação de ilegalidade, das instalações municipais no prédio do PreviPalmas. "Daqui a pouco o PreviPalmas estará atendendo na rua, porque as instalações estarão ocupadas por órgãos municipais", declarou o servidor que pediu para não ser identificado devido ao medo de perseguição.