Educação

Foto: Elias Oliveira A subsecretária Morgana Gomes falou sobre a importância da Educação na construção de uma sociedade melhor A subsecretária Morgana Gomes falou sobre a importância da Educação na construção de uma sociedade melhor

A apresentação do Projeto “A Ouvidoria vai à Escola” ocorreu na manhã desta terça-feira, 30, no auditório do Tribunal de Justiça, em Palmas. Ele faz parte de uma parceria celebrada entre a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e o TJ. A ação tem como instrumento a interlocução e intermediação entre os alunos, professores, pais, cidadãos e as instituições públicas, por meio de palestras e oficinas esclarecendo os direitos que a população tem.

O Projeto foi apresentado durante a realização da palestra “Ouvidoria Judiciária: a construção de uma justiça democrática de proximidade”, que foi ministrada pelo desembargador Paulo Sérgio Velten Pereira, ouvidor do Poder Judiciário maranhense. A ouvidora do TJTO, desembargadora Ângela Prudente, destacou a importância desse Projeto junto às escolas da rede pública estadual. “A Ouvidoria Judiciária vai à Escola visa disseminar a informação junto aos alunos dessas instituições, porque somos sabedores que precisamos formar cidadãos conscientes para a construção de seus próprios direitos”, reiterou a desembargadora.

A subsecretária da Educação, Morgana Nunes Tavares Gomes, disse que esse trabalho deverá preparar a atual geração para que esta saiba e conheçam seus direitos desde os primeiros anos. “Temos a convicção que a partir da educação podemos mudar uma cidade, um Estado, um país. Todo investimento feito nessa área é algo que renderá frutos para toda vida, sabendo que o ser humano é  o maior patrimônio de um País, contudo a instituição que investe neste patrimônio aplica com responsabilidade seus recursos e contribui para o formação de um sólido Estado Democrático de Direito”, destacou Morgana.

“A Ouvidoria vai à Escola é um projeto que vai onde está o verdadeiro brasileiro, que vai construir o Brasil de amanhã, pois todos passam pelo banco escolar durante a sua vida. Quando apresentamos um projeto dessa magnitude, nós estamos fazendo a transformação na sociedade”, finalizou o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Ronaldo Eurípedes. (Ascom / Seduc)