Estado

Foto: Imagem Ilustrativa O objetivo será cobrar do poder público providências quanto à violência que só aumenta em Palmas O objetivo será cobrar do poder público providências quanto à violência que só aumenta em Palmas

Está em processo de criação um Comitê Contra à Violência em Palmas. Segundo informou ao Conexão Tocantins na manhã desta terça-feira, 14 de julho, Simey Araújo Sousa - um dos que está a frente do projeto -, o Comitê contará com integrantes de órgãos importantes e terá o objetivo de cobrar providências, propostas, entre outros, do poder público quanto ao aumento da violência na Capital. "Estamos organizando e o objetivo é atuar como pressão ao poder público, saber o que a prefeitura tem de planos, de projetos para debelar a violência; saber o que o Governo do Estado tem de proposta, quantas viaturas vão ser compradas, mais concursos para soldados, quadro de pessoal, pressionar a SSP (Secretaria de Segurança Pública) pela estrutura de prédio, cobrar um plano para que problemas sejam resolvidos, vamos sentar com o secretário de segurança pública. O que não for cumprido vamos colocar a boca no trombone. Não podemos ficar só vendo os índices aumentarem", afirmou. 

Uma das motivações para a criação do comitê é a demora na solução de crimes semelhantes ao da Irene Barroso Costa que foi estuprada e assassinada no setor Aureny III. Após um mês, o acusado pelo crime ainda não foi preso. O marido da vítima, segundo informou Simey, será integrante da organização. Já foram convidados para participarem do comitê a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Associação Comercial de Palmas (Acipa), Igreja Católica e o Sindicato dos Jornalistas (Sindjor). "Participação da sociedade civil por meio da OAB, Acipa, igreja católica. Estaremos lançando em breve", informou Simey. 

Simey que estará representando o cidadão comum na organização informou ainda ao Conexão Tocantins que o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, foi convidado para participar do lançamento. "Mandamos um ofício para o Joaquim Barbosa e estamos aguardando, para que ele faça uma palestra. O dia (de lançamento) ainda não está marcado devido o convite que fizemos. No mês de julho é meio complicado para fazer porque está todo mundo de férias, mas, no início de agosto pode acontecer", disse. 

De acordo com Simey, está sendo elaborado um estatuto e é aguardada também a parceria com o Ministério Público. Segundo Simey, o Comitê será composto de comissões de várias áreas em que a violência existe e a expectativa é que o projeto dê tão certo que sirva de modelos para outros municípios. "Que esse projeto seja um protótipo que sirva para outros municípios do estado. O nosso Comitê vai ter jurisdição aqui na Capital mas esperamos que seja tão bom que possamos repassar a outros municípios", afirmou.