Polí­cia

Foto: Divulgação Gado era ocultado pelo casal Márcio e Jane Osterer, segundo a Polícia Gado era ocultado pelo casal Márcio e Jane Osterer, segundo a Polícia
  •  Casal Márcio Osterer e Jane Zeferino Osterer
  • Foragidos Amarildo e Renata

Uma operação, denominada "Leite Derramado", foi realizada pela 2° Delegacia de Polícia Civil (DPC) de Paraíso do Tocantins e resultou na prisão do casal Márcio Osterer e Jane Zeferino Osterer, de Porto Nacional. Eles estão relacionados a uma organização criminosa, especializada em golpes contra proprietários de gado leiteiro, com atuação em diversos Estados. Até o momento, essa organização gerou prejuízos de aproximadamente R$ 410 mil nos estados de Santa Catarina, Goiás, Tocantins, São Paulo e existem indícios de vítimas também no Estado do Pará.

De acordo com o delegado Cassiano Oyama, responsável pela operação, o casal era responsável pela logística de transporte, venda e ocultação do gado que era conseguido através de golpes aplicados por Valter Luiz Rodrigues de Araújo e Amarildo (vulgo Mineiro), que estão foragidos. Parte desse gado foi vendida pelo casal para um frigorífico, outra para moradores de assentamentos no Tocantins e uma quantidade foi localizada na propriedade do casal. 

Segundo o delegado, a polícia civil teve conhecimento da atuação dessa organização quando uma vítima de Paraíso procurou a delegacia informando que Valter Luiz e Amarildo estiveram em sua propriedade se apresentando como compradores e conseguiram fechar uma tratativa de R$ 140 mil por 41 cabeças de gado. “Eles teriam pago, à vista, R$ 40 mil e o restante seria pago com cheques de Porangatu-GO, com prazo de 20 dias. No entanto, esses cheques seriam roubados”, esclareceu Cassiano Oyama.

Diante dessas informações, a Polícia Civil (PC) do Tocantins entrou em contato com a PC de Porangatu (GO) e foram informados que a dupla havia aplicado outro golpe em uma fazenda de Indiara (GO), cujo proprietário é de Santa Catarina. Dessa vez, o prejuízo foi de 91 cabeças de gado, representando aproximadamente R$ 250 mil. Os cheques utilizados no esquema também são do município de Porangatu (GO).

Ainda foi identificada uma vítima da cidade de Abreulândia (TO), com um prejuízo de 20 cabeças de gado, totalizando o valor de R$ 150 mil. Neste último caso, Valter Luiz e Amarildo fizeram o primeiro contato com a vítima durante a Feira de Tecnologia Agropecuária do Tocantins (Agrotins), ocorrida em maio. O delegado suspeita que a organização tenha feito outros contatos com possíveis vítimas durante a Feira.

O delegado Cassiano Oyama solicita que, quem tiver qualquer informação sobre o paradeiro de Valter e Amarildo, entre em contato com a 2º DPC, através do telefone (63) 3602 1998. A esposa de Amarildo, Renata Alessandra Herculano Paiva, é suspeita de estar envolvida com esquema e também está foragida. (Ascom SSP)