Polí­tica

Foto: Divulgação

O vereador e professor Júnior Geo (Pros) apresentou em tribuna, nesta quinta-feira, 13 de agosto, ofícios que completam 150 dias sem respostas do Executivo, que foram encaminhados solicitando informações à Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos, Secretaria de Governo e Relações Institucionais e Secretaria de Acessibilidade, Mobilidade, Trânsito e Transporte. 

O objetivo dos expedientes era conseguir acesso a documentos relacionados a ações da prefeitura. No caso do pedido que trata das locações de veículos pela prefeitura de Palmas que teriam triplicado de uma gestão para outra, os outros vereadores se recusaram a votar em caráter de urgência o requerimento - que estava na Câmara desde março - na sessão de ontem, e não votaram hoje porque não havia o número mínimo de parlamentares exigido pelo Regimento Interno da Casa de Leis.

Na ocasião em que tentou colocar em pauta o requerimento e não obteve sucesso, Júnior Geo ouviu dos vereadores Folha (PTN) e Carlos Braga (PMDB) que poderia ter acesso aos documentos como qualquer cidadão ou mesmo conseguir por meio de ofício. Contudo, Geo possui esse e outros ofícios da mesma natureza sem resposta por parte da gestão.

Para Júnior Geo, o seu trabalho como vereador está comprometido, visto que não consegue ter acesso aos documentos necessários para cumprir a sua principal função de fiscalizador do município. “Eu me pergunto para que serve um vereador se essa Casa de Leis entende que requerimentos solicitando documentos da gestão não devem ser aprovados, que vereadores não devem fiscalizar o Executivo, então, que feche a Casa de Leis porque não serviremos para nada”, ressaltou o parlamentar.  

Por: Redação

Tags: Atividade Parlamentar, Júnior Geo, PROS