Saúde

Foto: Divulgação

Começa nesta semana, de 17 a 21 de agosto, o Governo do Estado e o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into) realizam mais uma etapa do mutirão de cirurgias ortopédicas de alta complexidade. Nesta segunda etapa ocorre a ação assistencial cirúrgica, momento em que onze pacientes serão submetidos a procedimentos de coluna.

Em julho os pacientes passaram por uma avaliação pré-operatória com atendimento ambulatorial no Hospital Geral de Palmas (HGP) e os que foram considerados aptos pela equipe médica a passarem pelos procedimentos serão atendidos nesta semana. No total, onze pacientes passarão pelas cirurgias que irão contar com a atuação de 19 profissionais do Into, além de profissionais do HGP que irão auxiliar nas cirurgias.

“Esses são pacientes que já estavam cadastrados na Central Nacional de Regulação de Alta Complexidade e que vão poder ser operados. Para um gestor esse é motivo de alegria, já que mesmo com algumas condições que interferem em nossa capacidade, trabalhamos para que nossos pacientes sejam atendidos no menor prazo possível”, reforçou o secretário de Estado da Saúde, Samuel Bonilha.

A terceira etapa do mutirão acontece entre os dias 21 e 25 de setembro e será destinada aos pacientes que serão submetidos a procedimentos de joelho com implante de prótese.

A diretora geral do HGP, Renata Duran, ressaltou a importância da ação para os pacientes. “É extremamente relevante essa ação, considerando que os usuários estão na espera e vão poder contar com uma equipe altamente qualificada”, afirmou.

Um paciente que não vê a hora de voltar a vida normal é o lavrador Adenilton Ferreira Lima, morador de Lavadeira, cidade localizada na região Sul do Estado. Devido a dores na coluna, há mais de um ano Adenilton não trabalha. “Graças a Deus que consegui esta oportunidade e tenho a esperança que após a cirurgia possa voltar a trabalhar”, disse confiante.

Outra paciente que será beneficiada com o mutirão de cirurgias ortopédicas é a artesã Adriana Machado, de 55 anos. Moradora de Palmas, ela conta que recebeu a notícia com muita alegria. “Quase não aguento andar e não estou fazendo mais meus artesanatos por conta das dores, tomara que dê tudo certo”, disse.

A ação assistencial faz parte do Projeto Suporte, que acontece graças ao convênio de cooperação técnica firmado entre a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) e o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia/Ministério da Saúde que desenvolve ações em todo o País.  O Projeto Suporte visa à integração e a assistência em traumato - ortopedia e reabilitação, atendendo principalmente na região Norte do Brasil.