Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado Eduardo Siqueira Campos (PTB) voltou a criticar a possibilidade de aumento de impostos estaduais, baseado nas declarações do governador Marcelo Miranda (PMDB) durante o encontro de governadores, realizado em Palmas na última semana, quando o chefe do Poder Executivo declarou ser favorável a majoração da carga tributária. Ainda nesta terça-feira, 15, Siqueira comentou a posição do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), que disse ser contra o aumento de impostos. Eduardo Siqueira afirmou também que não acredita que o Congresso Nacional aprovará a recriação da CPMF.

Eduardo Siqueira disse que ficou decepcionado com a posição do Governador do Tocantins em defender o aumento de impostos e ressaltou a opinião do governador de Goiás, Marconi Perillo, ao se posicionar contra o ampliação da carga tributária. Eduardo destacou a política de atração de investidores praticada em Goiás, que implantou parques industriais e atualmente sedia grandes empresas, inclusive montadoras de veículos. “O governador Marconi Perillo deixou clara sua posição contrária ao aumento de impostos”, frisou.

O parlamentar comentou ainda a articulação do Governo Federal para conseguir votos no Congresso Nacional visando aprovar a recriação da CPMF. Eduardo Siqueira destacou que todas as tributações denominadas de “Contribuição” entram nos cofres da União, mas não são divididas com Estados e Municípios. O deputado disse esperar que os congressistas escutem o clamor da sociedade que não suporta ainda mais aumento de carga tributária. “Essa contribuição foi banida pelo Congresso e do Congresso não renascerá”, afirmou.

Em nível estadual, Eduardo Siqueira voltou a pedir para a Assembleia Legislativa não aprovar aumento de impostos. O deputado afirmou que a crise assola não só o Estado, mas todo o País, o que vem dificultando ainda mais a vida dos cidadãos. Eduardo relembrou reunião dos deputados com representantes do setor produtivo, que procuraram a Assembleia Legislativa para pedir que os deputados não aprovem mais aumento de impostos. “Não será com aumento de encargos que alcançaremos o crescimento”, frisou.