Meio Ambiente

Foto: Divulgação Vista do lago no município de Lajeado Vista do lago no município de Lajeado

A Fundação de Apoio Científico e Tecnológico do Tocantins (FAPTO) em parceria com a Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) realizam nesta quarta-feira, 16, a primeira consulta pública do Plano da Bacia Hidrográfica do Entorno do Lago formado pela Usina Hidrelétrica (UHE) Luiz Eduardo Magalhães. O evento que acontece às 14h no auditório Centro Universitário Integrado de Ciência Cultura e Arte (CUICA) da Universidade Federal do Tocantins (UFT) reunirá prefeitos dos 20 municípios impactados e representantes dos órgãos de proteção ambiental do Tocantins.

O coordenador do curso de engenharia civil da UFT e coordenador geral do plano da bacia, professor doutor Felipe Marques, explica que a equipe do projeto composta por outros sete professores doutores realizou um diagnóstico das demandas hídricas, bem como das características socioeconômicas dos 20 municípios do entorno. “Nossa proposta é aliar o desenvolvimento destas cidades com a compatibilidade hídrica. Ao final do estudo será desenvolvido o Plano de Metas e Horizontes que será executado ao longo dos próximos 20 anos”, detalha o coordenador.

O estudo servirá para a elaboração de um plano de ação que servirá para tomada de decisões quanto à revitalização, recuperação e conservação hidroambiental da bacia hidrográfica do entorno do lago. Serão realizados diagnósticos sobre crescimento demográfico, evolução de atividades produtivas, modificações dos padrões de uso e cobertura do solo, cálculo do balanço entre disponibilidade e demandas futuras em quantidade e qualidade da água. O diagnóstico servirá para proposição de metas de racionalização de uso, aumento de quantidade e melhoria da qualidade das águas da bacia hidrográfica do entorno do Lago. 

O projeto é uma parceria entre FAPTO e Semarh, executado com recursos do Fundo Estadual de Recursos Hídricos. Outras três consultas públicas estão previstas para acontecer durante a execução do projeto, que deve ser concluído até o fim de 2016.