Estado

Foto: Miller Freitas Unidade prisional no Norte do Estado comporta atualmente 338 presos e promove trabalho de ressocialização Unidade prisional no Norte do Estado comporta atualmente 338 presos e promove trabalho de ressocialização

Os projetos de reinserção social que são realizados Unidade de Tratamento Penal Barra da Grota (UTPBG), em Araguaína, serão apresentados a autoridades na manhã dessa quarta-feira, 23, na própria unidade prisional. Ao todo, são 11 projetos que já são desenvolvidos pelo Poder Judiciário em parceria com o Governo do Tocantins, por meio da Secretaria Estadual de Defesa e Proteção Social (Sedeps), o Conselho da Comunidade e a empresa de gestão penitenciária Umanizzare, entre outros. A apresentação será feita pelo juiz de Direito da 2ª Vara Criminal e Execução de Araguaína, Antônio Dantas de Oliveira Júnior.

O destaque será a apresentação e a implantação do Projeto Mão de Obra Carcerária em Regime Fechado, instituído pelo Conselho da Comunidade, em parceria com a empresa Quatro Ventos, que adquiriu maquinário para a confecção de roupas íntimas dentro da UTPBG, através do recebimento de penas pecuniárias. Um total de 30 reeducandos participam desse projeto. Eles recebem quites para serem montados e costurados e são remunerados pela atividade por cada etapa concluída. Antes de ingressar no projeto, todos foram capacitados pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai).

A secretária Estadual de Defesa e Proteção Social (Sedeps) Gleidy Braga diz que o Governo do Tocantins tem satisfação em poder firmar parcerias com essas, que, no caso do Sistema Prisional, significam mais que a oportunidade de remição de pena, mas, sobretudo, de profissionalização dos reeducandos. “Buscamos exatamente isso, mais parcerias, inclusive com o empresariado tocantinense, na forma de oferta de atividade laboral para aqueles que estão privados de liberdade. É com a soma de esforços que teremos resultados satisfatórios”, disse.

Na UTPBG, é mantido também o Projeto Notas para a Liberdade com a participação de dez reeducandos que têm aulas de violão e teclado por professores de música voluntários. Também tem o projeto de remição pela leitura Começando de Novo, também instituído pela 2ª Vara Criminal e Execução de Araguaína e Central de Execuções de Penas e Medidas Alternativas (Cepema), que atende atualmente 25 reeducandos.

Além desses, são mantidos os projetos de horta Plantando a Liberdade, com 15 reeducandos capacitados pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), que possibilita o fornecimento diário de verduras para a própria unidade prisional; e de artesanato, com enfoque ocupacional e psicossocial, a fim de evitar o ócio.

Outros projetos mantidos na unidade prisional, em regime de parceria com o Poder Judiciário, Conselho da Comunidade, Cepema e a Umanizzare, são Cinema em Ação, Canto que Liberta, Creia, Ritmos de Paz, Histórias de Vida e Juiz Presente e Audiência de Informação e Requerimento. “O Poder Judiciário do Tocantins tem se mostrado atuante e exemplar em nível regional e nacional no trabalho de ressocialização. Em nome do governador Marcelo Miranda, só temos que agradecer”, destacou Gleidy Braga.

Em parceria com o Departamento Penitenciário Nacional do Ministério da Justiça (Depen-MJ) está em implantação na unidade uma padaria, por meio da qual os reeducandos poderão fazer cursos de panificação de caráter profissionalizante.