Economia

Foto: Elias Oliveira Durante coletiva de imprensa realizada na Seduc, o secretário repassou os números do Salão do Livro 2015 Durante coletiva de imprensa realizada na Seduc, o secretário repassou os números do Salão do Livro 2015

Depois de nove dias de Salão do Livro, o saldo do maior evento literário da Região Norte foi positivo e com metas de visitação superadas. Os dados foram repassados pelo secretário de Estado da Educação, Adão Francisco de Oliveira, durante entrevista coletiva realizada na sede da Seduc na tarde desta segunda-feira, 28. Além dos dados referentes à organização do Salão, foram repassados os balanços das atuações da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros e a arrecadação de livros, por meio do projeto da Defensoria Pública Estadual.

De acordo com os dados levantados pela organização do Salão, o Pavilhão Mauricio de Sousa teve um fluxo de cerca de 350 mil visitantes entre os dias 19 e 27 de setembro, superando as estimativas da Seduc em 100 mil pessoas. “Para nós isso é fabuloso, é magnífico e representa o quanto as pessoas do Tocantins almejavam o retorno de um evento que reúne educação, cultura e manifestações artísticas”, destacou Adão Francisco.

Em um espaço reduzido e dentro de um cenário de contenção de despesas, o 9º Salão do Livro conseguiu movimentar mais de R$ 7,5 milhões, aquecendo a economia para livreiros e demais pessoas que trabalharam no evento. Deste valor, o Cartão Livro – um investimento do Governo do Estado que beneficia diretamente professores e servidores da rede estadual de ensino – foi responsável pela injeção de quase R$ 2,5 milhões em transações de compra e venda de livros.

“Em um espaço reduzido neste ano, nós conseguimos instalar 90 estandes de expositores e o Cartão Livro foi um instrumento fundamental para esta movimentação financeira que registramos nos nove dias de evento”, explicou o secretário da Educação.

Programação diversificada

Em nove dias, a programação do Salão do Livro atraiu a atenção do público e promoveu, entre palestras, workshops, mesas redondas e lançamento de obras literárias, a troca de informações e a ampliação do conhecimento. Conforme os números da organização do evento, foram realizadas 53 palestras, 120 lançamentos de livros e 1 workshop, além de dezenas de apresentações culturais, tanto nos palcos, como no Auditório Tião Pinheiro e no Café Literário.

“Também realizamos cinco mesas redondas que merecem destaque, que foram de extrema importância porque deram uma contribuição significativa para a construção de políticas públicas”, completou Adão Francisco. As mesas redondas, todas realizadas no Café Literário, abordaram a Ressignificação Curricular, a Educação Quilombola, a Educação Indígena, a Educação Especial e a formação em Língua Inglesa.

Ocorrência

Presente na coletiva, o comandante geral da Polícia Militar do Tocantins, coronel Glauber de Oliveira Santos, destacou que foram dispostos 204 policiais que garantiram o patrulhamento e a segurança dos espaços dentro e no entorno do Centro de Convenções Parque do Povo, local de realização da 9ª edição do Salão do Livro. “Durante os nove dias, não registramos nenhuma ocorrência nem contra o patrimônio, nem contra a vida”, destacou.

Com apenas um registro de mal súbito feito durante o evento, a avaliação do Corpo de Bombeiros também foi positiva, segundo o coronel Reginaldo Leandro da Silva. “Todas as medidas preventivas foram feitas e, quanto à estrutura, não tivemos problemas. Apenas uma ocorrência de mal súbito, que foi prontamente atendida”, frisou.

Doações de livros

Parte solidária e importante do maior evento literário da Amazônia Legal, a doação de livros foi uma marca da edição 2015 do Salão. A Defensoria Pública Estadual (DPE) recebeu, durante os nove dias, doações que chegaram a 1.500 exemplares que serão distribuídos posteriormente. Além disso, depois de solicitação da comarca de Araguaína, a Secretaria de Estado da Educação doará 300 livros ao presídio Barra da Grota. “Sabemos que a leitura transforma a humanidade”, concluiu Adão Francisco.