Palmas

Foto: Divulgação

Um levantamento feito pelo 9º Anuário Brasileiro de Segurança Pública mostra que a capital do Tocantins, Palmas teve aumento de 7,32% na taxa de mortes violentas analisando o ano passado comparando com 2013. Este índice se refere a cada 100 mil habitantes. Os dados fazem parte de anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

O estudo concluiu ainda que uma pessoa é assassinada a cada meia hora, em média, nas capitais do país sendo que houve 15.932 mortes decorrentes de crimes violentos intencionais (homicídios dolosos, lesões corporais seguidas de morte e latrocínios) nas 27 capitais no ano passado.

No ranking de todas as capitais Palmas está em 21º lugar com uma taxa de 27,9 % de crimes violentos a cada 100 mil habitantes.

A sociedade civil começa a se organizar contra a violência em Palmas. Está em processo de criação um Comitê Contra à Violência em Palmas. Segundo informou ao Conexão Tocantins Simey Araújo Sousa - um dos que está a frente do projeto -, o Comitê contará com integrantes de órgãos importantes e terá o objetivo de cobrar providências, propostas, entre outros, do poder público quanto ao aumento da violência na Capital. Uma das motivações para a criação do comitê  foi a demora na solução de crimes semelhantes ao da Irene Barroso Costa que foi estuprada e assassinada no setor Aureny III.

Menos gasto com segurança

Tocantins está entre as três unidades da federação que  diminuíram a verba destinada à segurança em um ano junto com Mato Grosso, Piauí, este último, tem o menor gasto do Brasil, tanto absoluto (R$ 59 milhões) quanto per capita, de R$ 18,48 – muito abaixo da média nacional (R$ 332,21).

O estado que mais investiu em policiamento, informação e inteligência e em Defesa Civil foi São Paulo: R$ 10,3 bilhões. Já o Acre foi o estado com o maior gasto per capita: R$ 568,88 por habitante. Os dados mostram ainda que a União também colocou menos dinheiro no setor no ano passado. Foram R$ 8,1 bilhões – contra R$ 8,3 bilhões em 2013.