Polí­tica

Foto: Divulgação

O vereador de Palmas, Lúcio Campelo (PR), questionou a falta de comprometimento dos gestores públicos com a sociedade. "Vemos o governo estadual aumentando a carga tributária. E o prefeito Amastha que era contra a expansão do Plano Diretor, na época da campanha, hoje apresenta uma Plano de Revisão do Plano Diretor para poder cobrar IPTU na zona rural", afirmou. 

Campelo citou postagens nas redes socais em que citam como exemplo o aumento do IPVA. "No ano que vem (2016) o IPVA de carro usado vai dobrar". O parlamentar diz que o Estado anda na contramão, "há tendência é baixar, mas no Tocantins vai aumentar". 

Tanto o IPVA como todos os impostos que o governo estadual aumentou, através do pacotaço aprovado pela Assembleia Legislativa, "irá tirar da boca do cidadão, e dos filhos dele, para pagar impostos ao governo", analisou o vereador. 

Lúcio pede que o governador Marcelo Miranda tenha a "mesma coragem e determinação, e rompa politicamente com alguns compromissos". Ao contrário de aumentar impostos o governador deveria enxugar a estrutura administrativa e reduzir secretarias. "Qual o interesse hoje em aumentar a carga tributária para a sociedade e manter os compromissos políticos?", questionou. 

Com relaçao as ações da administração municipal de Palmas, o vereador leu algumas manchetes que foram destaques na imprensa, na época que o prefeito Amastha era contra a expansão do Palno Diretor: "Carlos Amastha assina veto integral ao Projeto de Lei que prevê expansão urbana da Capital"; "Apontando exclusão do Santo Amaro, Amastha veta integralmente expansão do Plano Diretor".

"Ele era contra, e esse posicionamento contribuiu muito para sua eleição",lembrou Campelo. Para o vereador a justificativa para a mudança de posicionamento está no fato que o prefeito já aumentou tudo que podia, e não tem mais como aumentar a carga tributária, cria-se então essa Revisão do Plano Diretor como forma de poder colocar  a zona rural como zona urbana e assim poder cobrar IPTU. "Estão criando áreas de contenção 1 e 2, de toda margem da rodovia, do São João à divisa com o Lageado, para cobrar IPTU Verde", disse.  

O parlamentar faz um alerta à população: "se a sociedade não se mobilizar a favor de si, não sei onde vai parar o nosso Estado, e o nosso município". E finaliza questionando os três gestores: da União, do Estado, e do nosso município. "Eles nos dão a visão clara da falta de comprometimento em melhorar a vida do cidadão".