Estado

Foto: Daniel Cavalcante

Depois das revistas Exame e Você S/A, eleger Porto Nacional como uma das 10 melhores cidades brasileiras na geração de emprego, de acordo com levantamentos do IPEA – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, agora é a revista Istoé, que destaca o município entre os 50 com expressivo crescimento na economia e nos negócios, além de colocar a cidade portuense entre as cinco de pequeno porte com especial qualidade de vida. 

Segundo a publicação nacional, esta nova realidade é o resultado de ações administrativas da atual gestão, somadas a parcerias com os governos estadual, federal e os grandes investimentos da iniciativa privada, que aposta na credibilidade e na segurança jurídica da gestão municipal, na excelente logística e principalmente nas condições favoráveis que são oferecidas para a realização de grandes negócios.

As top cinco:

Grande: 1-Campo Grande (MS), 2-Curitiba (PR), 3-Belo Horizonte (MG), 4-São Paulo (SP), 5-Goiânia (GO).

Média: 1-Rondonópolis (MT), 2-Dourados (MS), 3-Rio Verde (GO), 4-Angra dos Reis (RJ), 5-Lauro de Freitas(BA).

Pequena: 1-Porto Nacional (TO), 2-Cristalina (GO), 3-Quirinópolis (GO), 4-Nova Venécia (ES), 5-Eusébio (CE). 

Localização estratégica

Às margens do rio Tocantins, Porto Nacional vive um momento de grande desenvolvimento, principalmente por sua localização estratégica. Situada no centro do Estado de Tocantins, a 52 quilômetros da capital Palmas, a cidade espera ser o centro de toda a integração de transportes por acesso rodoferroviário para o escoamento da produção das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste para o Sul e Sudeste do País e por meio do porto de Barcarena, no Pará, e Itaqui, no Maranhão.

“Vivemos um bom momento, com rodovias para todos os lados e o funcionamento da Ferrovia Norte-Sul até Açailândia, no Maranhão”, diz o prefeito Otoniel Andrade (PSDB), em sua segunda passagem pelo cargo. “Temos no município um aeroporto completo e bem equipado e ainda em via de ser ampliado e, no modal hidroviário, vamos ser privilegiados pela proximidade do rio Tocantins.”

Nos últimos anos, a logística de transporte e a infraestrutura da região, somadas aos incentivos fiscais oferecidos pelo estado e pelo município, favoreceram a vinda de grandes empresas em Porto Nacional. Em todo o município, o número de companhias nos setores industrial, comercial e de serviços cresceu 25,2% de 2002 para 2013, segundo levantamento da prefeitura. A produção de grãos também aumentou cerca de 27%, chegando a 586 mil toneladas na última safra e estima-se que seja da ordem de 640 mil toneladas na safra 2014/15, o que representa mais de 16% de toda a produção de Tocantins.

O maior investimento é no distrito de Luzimangues, onde está instalada a Plataforma Multimodal da Ferrovia Norte-Sul para a armazenagem e comercialização de grãos, fertilizantes e combustíveis. Quando em pleno funcionamento, o terminal terá capacidade para 60 mil toneladas e poderá descarregar até 30 caminhões por hora. É lá que estão instaladas as grandes empresas. Só a Granol, dedicada à produção e comercialização de soja, investiu R$ 380 milhões em uma unidade de beneficiamento de grãos inaugurada neste ano.

A Raízen inaugurou sua base no Distrito Agroindustrial no ano passado, com o objetivo de receber diesel e gasolina do Porto de Itaqui, em São Luís, por trem, e retornar com etanol obtido de usinas instaladas no norte de Goiás. O investimento foi da ordem de R$ 40 milhões. A Agrex, subsidiária da Mitsubishi, inaugurou uma unidade de transbordo de grão com investimento de R$ 25 milhões, destinado a processar e movimentar cerca de 250 mil toneladas de grãos que serão posteriormente exportados pelos portos da Região Norte.

A chegada das grandes empresas contribuiu para a geração de emprego e renda no município, que conta com o quarto maior PIB do estado e conseguiu a melhor classificação no grupo Indicadores Econômicos entre as cidades de pequeno porte do anuário As Melhores Empresas do Brasil. A prefeitura se empenha em tornar o distrito de Luzimangues uma Zona Especial de Negócios (ZEN), área de industrialização privada para instalação de empresas em um terreno de 100 mil metros quadrados ao lado do Pátio Multimodal, com infraestrutura de esgoto, asfalto, energia e tratamento de resíduos. “Acenamos com incentivos e infraestrutura para atrair mais investimentos”, afirma o prefeito.

A qualificação da mão de obra também é motivo de preocupação. A proposta é melhorar a infraestrutura das escolas públicas da educação básica para a elevação dos índices de desempenho, e a melhoria do sistema de saúde com a construção de novas unidades básicas de saúde (UBS) e a ampliação do centro de especialidades médicas do município. Porto Nacional também conta com universidades privadas, um campus da Federal de Tocantins e bons cursos voltados para setores do empreendedorismo, inclusive na área de logística.

Por: Redação

Tags: Otoniel Andrade, Porto Nacional