Cultura

Foto: Manoel Junior

A abertura da 4ª Conferência Estadual de Cultura foi realizada na manhã desta sexta-feira, 16, na Universidade Federal do Tocantins (UFT), e contou com a apresentação musical da Banda Sinfônica Mestre Lídio, regida pelo maestro Wada Franciel e formada por jovens de Natividade.

A solenidade contou com a presença da vice-governadora, Cláudia Lelis, do secretário de Estado da Cultura, Melck Aquino, da presidente da Comissão de Articulação e Organização da 4ª Conferência, Sabrina Fittipaldi, do Diretor de Estudos e Monitoramento de Políticas Públicas Culturais do Ministério da Cultura (Minc), Pedro Vasconcellos e do chefe substituto da Representação Regional do Minc, Alberdan Batista. Também estiveram presentes a vice-reitora da UFT, Isabel Auler, o diretor do Conselho Estadual de Cultura, Marcelo Justino, e a presidente da Fundação Cultural de Palmas, Eliane Campos.

A vice-governadora Cláudia Lelis destacou o esforço do governo Marcelo Miranda para valorizar a cultura tocantinense e o compromisso cumprido pela gestão com a criação da Secretaria da Cultura e a realização da Conferência de Cultura. “Um governo que busca a transformação e a mudança tem a cultura como prioridade e, por isso, essa Conferência é um grande passo para a implementação de políticas públicas culturais no Tocantins”, afirmou.

Em seu discurso, o secretário da Cultura, Melck Aquino, lembrou que a arte e a cultura transformam a sociedade e que a realização do evento é a continuidade da luta e do esforço da classe artística tocantinense. “Os desafios e os problemas são grandes, mas esse momento é o primeiro passo para o fortalecimento da nossa cultura. Nos próximos dois dias, vocês vão ajudar a construir um Plano Estadual de Cultura que guiará a gestão cultural pelos próximos 10 anos”, disse.

“O Tocantins está no coração do Brasil e tem uma riqueza de manifestações culturais. O estado está dando um grande passo nas suas políticas culturais, com a consolidação do processo democrático, através da participação popular e do diálogo com a classe artística”, afirmou o representante do Minc, Pedro Vasconcellos, que também ressaltou a importância do Tocantins como ator na construção do Plano Nacional de Cultura.