Educação

Foto: Elias Oliveira

Com foco na promoção da educação integral e humanizada, a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) oferta, neste segundo semestre, 59 cursos do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), distribuídos em 43 cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC) e 16 cursos técnicos. Neste ano, as capacitações contemplarão mais de 1.500 vagas para os estudantes e cerca de 400 vagas para professores e instrutores  que desejam trabalhar no referido programa. A previsão para o início das aulas é para novembro.

O objetivo da Seduc, como ofertante do Pronatec, é contribuir para a superação das desigualdades socioeconômicas do campo e da cidade, bem como propiciar aos estudantes o acesso aos mais elevados níveis de conhecimento, saberes e experiências que permitam a compreensão da integração entre trabalho, ciência, tecnologia, cultura, arte, sociedade e ambiente.

Em parceria com o Ministério da Educação, a Seduc, por meio desse programa, pretende trabalhar as demandas da Secretaria de Estado de Turismo (Sedetur), Secretaria de Estado da Cultura (Secult), Secretaria do Trabalho e da Assistência Social (Setas), Centros de Referência de Assistência Social (Cras), Sistema Nacional de Empregos (Sine), Vale Mineradora (VLI - MG),  bem como as demandas da Seduc. 

Os profissionais interessados em atuar como professores ou instrutores  devem procurar as diretorias regionais de ensino para se inscreverem no processo seletivo que se encontra aberto até a quarta-feira, 21. O edital está disponível no site da Seduc, na aba Programas e Projetos.

Já os alunos devem procurar as escolas ofertantes dos cursos ou fazer as inscrições através de uma plataforma online, disponibilizada através do site: http://pronatec.mec.gov.br/inscricao/

De acordo com a coordenadora geral do Pronatec, Lúcia Lopes, a intenção é que todas as vagas sejam preenchidas. “Vemos o Pronatec como uma oportunidade grande, também, para inserção no mercado de trabalho. A Seduc está empenhada em levar educação de qualidade aos tocantinenses e dar oportunidades para o desenvolvimento do saber”, afirmou.

Os cursos de Formação Inicial e Continuada ou de qualificação profissional têm requisitos de acesso que variam desde a não exigência do Ensino Fundamental completo até a de Ensino Médio completo e possuem carga horária variando entre 160 e 500 horas, com duração de até seis meses.

Os cursos técnicos terão uma duração média de um ano e meio a dois anos, nas seguintes formas:  Técnico concomitante, para quem está matriculado no Ensino Médio; Técnico integrado, para quem concluiu o Ensino Fundamental e Técnico subsequente para quem já concluiu o Ensino Médio.

Cursos técnicos

Em Palmas, para  cursos técnicos concomitantes e subsequentes serão disponibilizados: Técnico em Edificações, Técnico em Computação Gráfica, Técnico em Eletroeletrônica, Técnico em Redes de Computadores e Técnico em Sistemas de Comutação.

Em Araguaína, será ofertado 1 curso técnico, nas formas concomitante e subsequente  em Refrigeração e Climatização e  12 cursos técnicos, do Proeja-integrado , Técnico em Zootecnia, Técnico em Análises Clínicas, Técnico em Prótese Dentária, Técnico em Radiologia, Técnico em Enfermagem, Técnico em Restaurante e Bar, Técnico em Informática Para Internet, Técnico em Redes de Computadores, Técnico em Estética, Técnico em Telecomunicações, Técnico em Desenho de Construção Civil e Técnico em Edificações. Para os cursos do Proeja-integrado os alunos deverão ter o Ensino Fundamental Completo e receberão dois certificados: um do Ensino Médio e outro do Técnico.

Em Miracema,  será ofertado o curso Técnico em Estética, na modalidade concomitante.

Pronatec

O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) foi criado em 2011 pelo Governo Federal, por meio da Lei 12.513/2011, visando expandir, interiorizar e democratizar a oferta de cursos de educação profissional e tecnológica no país, além de contribuir para a melhoria da qualidade do ensino médio público.

Atualmente o programa oferta 646 cursos de qualificação profissional e busca ampliar as oportunidades educacionais e de formação profissional qualificada aos jovens, trabalhadores e beneficiários de programas de transferência de renda, ofertando gratuitamente cursos técnicos e de qualificação profissional.