Meio Ambiente

Foto: Divulgação

Com o tema “Proteja uma nascente em um dia”, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) lançou, em parceria com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), o 1º Concurso de Proteção de Nascentes, que tem como meta proteger mil nascentes este ano em todo o pais nas áreas rurais. No Tocantins, a meta proposta pelo Senar Regional é de proteção a 200 nascentes. A premiação do concurso em nível nacional é de dois veículos pick-ups, uma para o Senar Regional e outra para o Sindicato Rural. Já os participantes do Tocantins concorrerão, além da premiação nacional, a cursos e programas realizados pela Instituição no Estado.

O primeiro Sindicato Rural do Tocantins a realizar esta atividade e credenciar a ação junto ao Senar Brasil foi Paraíso do Tocantins, presidido por José Antônio Pires, que descreveu como foi feito o processo para a proteção da nascente, localizada no rio São José, próximo ao município. “Foi feita uma cerca de isolamento de toda área ao redor da nascente e o plantio de árvores nativas onde tinha falhas na vegetação, com espécies propícias para essa finalidade, a exemplo do jenipapo e ipê amarelo. Dessa forma, garantiremos água em quantidade e qualidade para a fauna, flora e produção de alimentos, além de manter o abastecimento do rio local, que atende grande parte da população do município”.

O Senar Tocantins está realizando uma série de reuniões nos municípios do Estado para apresentar o concurso e a importância para a manutenção de mananciais de água potável em todo o planeta. Equipes da Instituição já visitaram todas as regiões do Estado.

De acordo com o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Tocantins (Faet), Paulo Carneiro, a ideia é mostrar à sociedade brasileira que a conservação das centenas de milhares de nascentes em todo o Brasil é possível, basta apenas seguir cinco passos. “O primeiro passo é identificar o tipo de nascente, entre três existentes: nascentes de fundo de vale, nascentes de encosta e nascentes de contato. O passo seguinte é cercar a nascente para protegê-la. Depois, é necessário limpar a área para não obstruir o curso natural da água. A conservação do solo é outra etapa fundamental deste processo para evitar a erosão, promovendo a infiltração da água e evitando o assoreamento da nascente. Por último, o replantio de espécies nativas, pois a proteção do solo com vegetação própria de determinada região é uma das formas mais eficientes de proteção da nascente”, destaca Paulo Carneiro.

Cadastramento

O cadastramento para o concurso deve ser feito, por um colaborador credenciado, através da páginawww.senar.org.br e clicar em Extranet, ou, acessar diretamente no endereço www.senar.org.br/extranet.

A nascente protegida deverá ser identificada com a placa do Programa de Proteção de Nascentes, contendo as coordenadas geográficas (latitude e longitude) e data de proteção.

Deverá ser preenchido um formulário por cada nascente protegida, e durante o cadastramento deverá ser feito oupload (envio virtual) de no mínimo 5 (cinco) fotos que comprovem a proteção da nascente. As fotos devem ser coloridas em formato JPG, com alta qualidade.