Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado estadual Wanderlei Barbosa (SD) usou a tribuna da manhã dessa terça-feira, 27, na Assembleia Legislativa do Tocantins para falar sobre a falta de planejamento e organização na estrutura dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas (JMI) em Palmas, que teve início na última sexta-feira, 23.  

Segundo o deputado, o evento teve verba definida, mas não houve planejamento e organização. “Tivemos verba definida e quem se candidata para um projeto dessa natureza, dessa grandeza, precisa ter planejamento”, disse.

O deputado abordou algumas manchetes das mídias do Estado, em que destaca sobre a queda da estrutura do refeitório e sobre uma declaração do coordenador indígena Carlos Terena, em que fala sobre a falta de água para os indígenas tomarem banho e também para beberem, além dos R$ 26 milhões direcionados para a organização dos Jogos Mundiais Indígenas.

Segundo o parlamentar, não houve arbitragem para apitar os jogos e nem qualificação. “O prefeito (Carlos Amastha) visitou o mundo inteiro utilizando estas verbas, no entanto, não qualificou servidores e até os jardins que foram feitos quem estava fazendo era o pessoal da Agesp. Para onde foram os milhões de reais direcionados para a boa organização dos Jogos Mundiais Indígenas? Na abertura do evento, os índios estavam do lado de fora, cadeiras vazias porque o prefeito estava com medo de levar vaias, selecionando as pessoas, o palmense e o tocantinense não teve acesso”, disse.

Wanderlei disse ainda que o prefeito Carlos Amastha precisa agir com responsabilidade, planejar, buscar recurso no tempo certo.  “Não foi feito investimentos, não foi feito licitação. Como faz um evento de tamanha importância e não dão a devida atenção? A população indígena nem nas aldeias são tratados da maneira em que estão sendo tratados aqui”, disse.

Outro assunto abordado pelo deputado foi qual legado os jogos deixarão para Palmas dos milhões investidos, pois o evento não deixará uma construção definitiva.  “Não vão deixar nada para o povo de Palmas e para as etnias tocantinenses”, frisou.

Na oportunidade, o parlamentar parabenizou toda população indígena, o povo de Palmas e do Brasil pela participação no evento e pede ainda que a Prefeitura de Palmas e os organizadores façam uma vistoria e reparem os danos que já aconteceram na estrutura dos jogos indígenas. Wanderlei finaliza seu pronunciamento dizendo que os índios não tiveram atenção que eles mereciam e a atenção que o brasileiro e a população esperavam na organização dos Jogos Mundiais Indígenas.