Cultura

Foto: Divulgação

Imagine a seguinte situação. O sinal de trânsito está fechado. Você para seu carro e aguarda a luz verde para sair. Enquanto isso, presta atenção nas pessoas que caminham pelas calçadas. Elas surgem do nada, como se saíssem da parede. Atravessam a rua e somem novamente, da mesma maneira que apareceram. A cena, muito comum no cotidiano, virou tema de uma exposição que chega nesta sexta-feira (6) à Galeria Sesc de Artes.

Orifícios, obra do mato-grossense Benedito Luiz Nunes, explora esse universo citado acima até 30 de novembro. A vernissage acontece hoje, às 19h, na galeria, no Centro de Atividades Sesc Palmas. A entrada é gratuita. A exposição faz parte do Projeto Sesc Amazônia das Artes que promove a circulação cultural na região Amazônica e estados vizinhos (Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins e Piauí).

Benedito Nunes tem 59 anos e é nascido em Cuiabá-MT. Artista plástico autodidata, pintor, desenhista e professor, começou a carreira frequentando o ateliê livre da Fundação Cultural de Mato Grosso, em 1978. Na mostra instalada no Sesc Tocantins, ele trouxe 30 esculturas feitas em latas recicladas dobradas e amarradas com os próprios arames retirados dos objetos. Seu intuito é tornar palpável a sensibilidade de sua percepção cotidiana.

“Eu chamei de orifícios porque se trata de um fim, mas esse fim se transforma em um meio para as pessoas irem e virem. Elas aparecem e somem através de um buraco, de um orifício”, explica Nunes. A ideia é instigar o espectador a se perguntar: Para onde vão essas pessoas que passam de um lado ao outro da calçada? O que elas fazem? Para retratar esse movimento, Benedito usou essas latas fixadas ao chão em forma de fila (procissão) sobre uma faixa de pedestres, além de esculturas colocadas sobre cubos.

A Galeria Sesc de Artes fica aberta de segunda a sexta-feira das 8h às 21h. A exposição fica disponível para visitações até 30 de novembro. A entrada é gratuita.