Polí­tica

Foto: Divulgação

Com informações do pregão eletrônico, o vereador Lúcio Campelo (PR) estranhou a quantidade de produtos compradas para o Centro de Controle de Zoonoses de Palmas. "Apesar de ter pouco mais de 200 funcionários causa estranheza a quantidade de itens comprados para atender o CCZ", falou o parlamentar.

A denúncia foi apresentada na sessão desta quinta-feira, 11, quando Campelo listou os itens comprados: 3 mil camisas de manga longa, mil bolsas de lona, 15 mil bonés, mil pares de botinas, 2 mil calças de brim e 22 mil camisetas. A quantidade é considerada excessiva para um contingente de pouco mais de 200 funcionários, "o mais estranho ainda é ver os preços pagos”.

Campelo apresentará denúncia ao Ministério Público Federal, porque, segundo ele, os recursos são do Governo Federal. Se o CCZ tem  200 funcionários então foram utilizados 200 itens, o restante tem que estar no depósito. Então que o material listado seja apresentado á sociedade", falou o vereador. 

Caso na investigação não "apareçam" todas as mercadorias, o parlamentar pede a responsabilização do prefeito Carlos Amastha. "Se ele não tiver conhecimento deste absurdo, é porque está sendo omisso, dando uma de Pilatos e transferindo responsabilidade. Mas o prefeito é o gestor responsável por todo e qualquer tipo de gastos deste município. A responsabilidade é do prefeito. E o prefeito Carlos Amastha está sendo conivente com este tipo de situação, mesmo que seja por omissão", finalizou Lúcio Campelo.