Polí­cia

Em sessão do Tribunal do Júri realizada nesta terça-feira, 10, na cidade de Araguacema, o conselho de sentença acolheu as teses do Ministério Público Estadual (MPE) e considerou culpado homem acusado de tentativa de homicídio duplamente qualificado contra sua ex-esposa, culminado com a prática do crime de aborto. O réu foi condenado a 10 anos, 10 meses e 20 dias de reclusão em regime inicialmente fechado.

O crime aconteceu no ano de 2007, no Povoado do Bonfim, a 340 km da capital. José Alberto de Lima foi acusado de tentar assassinar Cleidilara Barbosa dos Santos, grávida do seu terceiro filho, na época, fato que não o impediu de esfaqueá-la por diversas vezes. A vítima conseguiu sobreviver, mas sofreu aborto em virtude dos ferimentos na barriga. Após cometer o crime, José Alberto fugiu, sendo capturado em agosto do ano passado, por força de um decreto de prisão preventiva, permanecendo na Cadeia Pública de Araguacema até o julgamento.

De acordo com o promotor de Justiça Caleb Melo, que atuou na sessão do Tribunal de Júri, o réu agiu com a intenção de matar, por motivo fútil e com o emprego de recurso de impediu a defesa da vítima, não consumando a morte por circunstâncias alheias à sua vontade e tendo praticado aborto sem o consentimento da vítima, derrubando as teses da Defensoria Pública de homicídio privilegiado e de que o réu não tinha conhecimento da gravidez da vítima.