Polí­tica

Foto: Gustavo Lima

Em homenagem ao Dia da Consciência Negra, que será comemorado nesta sexta-feira, 20 de novembro, a deputada federal Josi Nunes (PMDB/TO) usou as breves comunicações durante a sessão plenária desta quinta-feira,19, para chamar a atenção para os índices de violência contra a mulher negra no Brasil. “Embora seja este um momento de comemoração, eu quero tratar de um assunto triste e lamentável, mas que de forma alguma, pode ser ignorado por este parlamento. Foi divulgado na última semana, o Mapa da Violência 2015, que aponta que os homicídios de mulheres negras aumentaram 54% em dez anos no Brasil”, lamentou.

Para a peemedebista, a violência contra a mulher negra no Brasil é apenas um reflexo das estatísticas. “Vivemos em um País em que mais de 50,7% da população é considerada negra, mas menos de 10% possui graduação em um curso superior. Entretanto, quando o assunto é violência, os negros estão no topo, já que os números apontam que 77% da vítimas de homicídio no Brasil, são negros. São dados alarmantes, que tornam a desigualdade e o racismo cada vez mais evidente em nossa sociedade”, ponderou.

A parlamentar defende que é preciso pensar nestes números, as posições ocupadas pelo negro no País, e sobretudo, repensar a situação da mulher negra.  

Ao finalizar, Josi parabenizou as mulheres que participaram da “Marcha Nacional da Mulher Negra 2015” realizada nesta quarta-feira,18, em combate ao racismo e a violência. “Quero aqui, parabenizar a todas as mulheres que participaram da Marcha, por esta grande mobilização contra o racismo, em especial, as mulheres negras e quilombolas do Tocantins, que representaram muito bem o nosso Estado. Quero dizer a todas, que aqui nesta casa, vamos continuar incentivando políticas públicas para mudar a realidade da mulher negra no Brasil”, finalizou.