Campo

Foto: Delfino Miranda

A segunda etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa termina no dia 30 de novembro, por isso, os produtores que ainda não vacinaram o rebanho de bovinos e bubalinos devem se apressar. Nesta etapa, que iniciou no dia 1º de novembro, a expectativa é vacinar cerca de quatro milhões de animais entre 0 e 24 meses de idade.

A segunda etapa da campanha realizada em novembro é parcial desde 2009. Segundo a Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), a vacinação de 50% do rebanho existente no Estado, estimado em mais de oito milhões de cabeças, gera uma média de redução de custos aos criadores em torno de R$ 8 milhões. “Quanto mais fizermos o dever de casa mais benefícios teremos, por isso, pedimos para os produtores rurais que vacinem seu rebanho e não deixem para última hora”, ressalta o presidente da Agência, Humberto Camelo.

O produtor rural tem até 10 dias, após a compra da vacina, para declarar o ato na unidade da Adapec, onde sua ficha é movimentada, munidos da nota fiscal e da Carta-Aviso, onde constam informações dos animais por sexo e faixa etária, inclusive de outras espécies. “A declaração deve ser feita também pelos produtores que não possuem animais nesta faixa etária de até 24 meses, para atualização cadastral”, explica José Pereira Veloso Júnior, responsável técnico pelo Programa Estadual de Erradicação da Febre Aftosa.

Sanções

O criador que deixar de vacinar o rebanho poderá ser multado em R$ 5,32 por animal e R$ 127,69 por propriedade não declarada. Além disso, ter sua ficha bloqueada, sendo impedido de movimentar os animais até que a situação seja regularizada, pois a emissão da Guia de Trânsito Animal (GTA) está condicionada a comprovação da vacinação.