Saúde

Foto: Heitor Iglesias Para a diretora da Hemorrede, Poliana Gomes, os doadores são heróis que ajudam a salvar vidas Para a diretora da Hemorrede, Poliana Gomes, os doadores são heróis que ajudam a salvar vidas

“Meu filho recebeu a primeira transfusão de sangue quando era um bebê, tinha apenas nove meses de vida. Por isso, eu e minha família somos gratos aos doadores voluntários, pois sabemos que eles doam vida ao meu filho, que necessita de transfusão em média três vezes ao ano”. Esse depoimento é do funcionário público Weder Valadares, o filho dele, de apenas 6 anos, é portador da doença falciforme, patologia que atinge os glóbulos vermelhos e causa a obstrução de pequenos vasos sanguíneos, resultando em intensas crises de dor.

O depoimento de Weder é espontâneo e vem as vésperas do dia em que se comemora o Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue, neste 25 de novembro. “A importância das doações que ele recebe é sem tamanho. Após receber a transfusão de sangue as crises cessam quase que imediatamente. Quando ele fica internado eu ligo no Hemocentro e prontamente eles providenciam a bolsa. Se não houver uma disponível, eles entram em contato e convidam um doador fenotipado, que possui o sangue muito parecido com o dele e no fim tudo dá certo”, contou. 

Assim como funcionário público, muitas pessoas são gratas a solidariedade de centenas de doadores voluntários que tiram um tempo durante sua rotina para ajudar o próximo e doar vida. Nesta quarta-feira 25, o Brasil inteiro comemora o Dia Nacional do Doador de Sangue e além de homenagear os doadores a data serve para conscientizar a população sobre a importância de ser um doador.

De acordo com a diretora da Hemorrede do Tocantins, Poliana Gomes, os doadores são importantes tanto para o Hemocentro quanto para as dezenas de receptores que necessitam do sangue para viver. “São nobres heróis que ajudam a salvar vidas. Essas pessoas têm uma grande importância para rede de sangue pelo fato de manterem todas as demandas transfusionais no Estado. Atendemos 100% dos leitos públicos e privados do Tocantins e temos pessoas que necessitam do sangue diariamente para sobreviver, pois possuem doenças hematológicas ou oncológicas. Parabenizo em nome da Hemorrede do Tocantins todos esses doadores”, disse.

Solidariedade e amor ao próximo

Desde 2010 quando doou sangue pela primeira vez, a contadora Geiziane Ferreira diz ter repetido o ato por mais de 25 vezes. Ela conta que o interesse e a vontade de ajudar ao próximo surgiram após conhecer a história de uma jovem que naquele momento precisava muito da doação de sangue.

“Eu fiquei muito comovida e a partir daí resolvi ser uma doadora para ajudar as pessoas, descobri que meu tipo sanguíneo é muito raro, O negativo, e que é fenotipado. Eu faço doação especificamente para algumas pessoas e estou sempre pronta quando o Hemocentro me convida e informa que alguém precisa do meu sangue”, disse orgulhosa.

Sangue fenotipado

Fenotipar o sangue de doadores frequentes significa identificar mais características além dos conhecidos subgrupos ABO e fator Rh que, juntos, formam o popularmente chamado tipo sanguíneo. Ao fazer isso, o Hemocentro confere mais segurança às transfusões para pacientes com doenças hematológicas.

Solidariedade

Doar sangue é um ato de solidariedade que ajuda a salvar milhares de vidas todos os dias. De janeiro a outubro deste ano a Hemorrede do Tocantins recebeu 27.463 candidatos à doação de sangue, sendo que destes, 19.804 fizeram doações voluntarias.

Em comemoração ao Dia Nacional do Doador, o Hemocentro Coordenador de Palmas oferecer nesta quarta-feira, 25, um café da manhã especial na unidade no Hemocentro Coordenador, localizado na região Norte, e no anexo do Hospital Geral de Palmas (HGP).