Saúde

Foto: Sara Cardoso

Teve início nesta quinta-feira, 26, as aulas dos cursos de especialização em Gestão da Vigilância Sanitária e da Qualidade e Segurança no Cuidado ao Paciente no bloco C da Universidade Federal do Tocantins (UFT), em Palmas. Com 120 vagas, os cursos são fruto de parceria entre a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), Secretaria Municipal de Saúde de Palmas (Semus) e o Instituto Sírio Libanês.

De acordo com a diretora da Escola Tocantinense do Sistema Único de Saúde (Etsus), Laudecy Alves do Carmo Soares, os cursos acontecem na modalidade de metodologias ativas, com aprendizagem baseada em problemas. “A educação permanente, que trabalhamos na Escola, traz como uma de suas diretrizes principais a educação no trabalho e para o trabalho, trazendo consigo metodologias diferenciadas, que são as metodologias ativas. Os grupos trabalharão discussões nas quais os alunos trazem para a sala de aula as experiências que já têm”, informou.

A diretora ainda destacou que, como resultado das especializações, a população pode esperar um atendimento de maior qualidade. “Essa é uma parceria de sucesso com objetivo de qualificar os trabalhadores para que a população possa ter acesso a melhores serviços. Esperamos que esse curso transforme as práticas por meio da promoção, da prevenção e qualidade no cuidado ao cidadão”, disse.

A aula inaugural das especializações ocorreu nesta quarta-feira, 25, no auditório da Unitins, em Palmas, e na ocasião o subsecretário de Estado da Saúde, Gustavo Bottos, destacou que a parceria vem engrandecer o trabalho das secretarias de Saúde, já que o Sírio Libanês é um instituto que tem muito a oferecer. “Essa parceria vai trazer o que há de mais contemporâneo no sistema de especialização e são cursos que vêm em um momento muito interessante e necessário, em razão da situação em que a saúde do Brasil se encontra. Isso vai engrandecer muito o trabalho da equipe e prestigiar nossos servidores com conhecimento técnico”, ressaltou.

Já a gestora de Aprendizagem do Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio Libanês, professora doutora, Roseli Ferreira da Silva, informou que os cursos são realizados através de um projeto do Ministério da Saúde, que traz o Sírio Libanês como instituição que vai ministrar o curso em nível nacional. “O Instituto está voltado para a formação de profissionais do SUS, ele investe nos trabalhadores de saúde com o financiamento da proposta pedagógica”, lembrou.

A presidente da Fundação Escola de Saúde Pública de Palmas, Juliana Ramos Bruno, disse que com os cursos “cada dia que passa se consegue fortalecer mais as ações de educação permanente nos serviços de saúde e isso gera a melhoria da assistência prestada aos usuários”.

A aula inaugural contou com a presença dos oito facilitadores dos cursos e 120 alunos, sendo 40 do curso de especialização em Gestão da Vigilância Sanitária e 80 do curso de especialização da Qualidade e Segurança no Cuidado ao Paciente.