Polí­tica

Foto: Divulgação

O governador Marcelo de Carvalho Miranda  compactua com o pensamento e argumentos dos governadores do Nordeste que recentemente se manifestaram contra a decisão do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB/RJ), de aceitar a abertura de um processo de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff. Da França, onde encontra-se participando da COP 21, fez questão de reafirmar sua opinião sobre o assunto.

 “Jamais defenderia o impeachment da presidente Dilma, por inúmeros motivos. Especialmente, pelo fato de defender o processo democrático, decorrente do resultado das eleições. Os argumentos  para a quebra do resultado das urnas, que elegeram a presidente, devem ter respaldos cabíveis e legais. Isso não se tem. É lamentável saber, que os argumentos favoráveis a este movimento contrário à gestão da presidente Dilma estão vinculados a interesses político-partidários”, disse.

O governador do Tocantins completa seu posicionamento relembrando que “desde o início da ventilação desta hipótese, tenho demonstrado meu apoio à presidente. Não poderia ser diferente agora. Não é segredo pra ninguém que, mesmo enquanto integrante do PMDB, tenho participado de reuniões e de encontros com governadores que apoiam o Governo Dilma. Também tenho  argumentado, junto à nossa bancada federal em defesa do Governo Dilma, mesmo respeitando os posicionamentos contrários”.

Ainda na opinião de Marcelo Miranda, o atual cenário econômico requer atenção e, em especial, a união  de todos os poderes, em todas as instâncias – municipais, estaduais e federais. “O Brasil precisa é de união e de diálogo franco e responsável, visando soluções viáveis e capazes de retomar o crescimento econômico, com distribuição de renda. Não é hora para se tirar proveito deste momento, a fim de desestabilizar o Governo Federal”, finalizou.

Por: Redação

Tags: Dilma Rousseff, Impeachment, Marcelo Miranda