Bastidores

Foto: Divulgação Ato em defesa da presidente Dilma Rousseff deve acontecer de forma coordenada em vários municípios do Estado Ato em defesa da presidente Dilma Rousseff deve acontecer de forma coordenada em vários municípios do Estado

Petistas históricos do Tocantins bem como lideranças do interior planejam a realização de um ato contra o pedido de Impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) para esta semana. O ato deve acontecer de maneira coordenada em quase todos os municípios capitaneado pelos principais líderes dos partidos aliados.

Aliados

Por falar em aliados, os partidos que são contra o impeachment no Estado também pretendem se manifestar esta semana contra o pedido que tramita na Câmara Federal. Na lista estão PCdoB e até o PSD do deputado federal Irajá Abreu dos quais os principais nomes são contra a conspiração contra a presidente Dilma Rousseff.

Amastha critica

O prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB) usou as redes sociais para indiretamente falar do processo do Impeachment contra a presidente da qual ele diz ser aliado. “Argentina deu o primeiro passo. Livre de governos corruptos e populistas. Não pelo fato de ser esquerda ou direita. Apenas por criminosos. Fico triste quando vejo brasileiros expressando ódio pela esquerda. Estamos confundindo ideais nobres com bandidos. Tem bandido em todo campo”, afirmou.

Ecos na Assembleia

O clima promete esquentar na Assembleia Legislativa do Tocantins onde o deputado da oposição, Olyntho Neto (PSDB) é um dos principais opositores e tem feito críticas ao atual Governo Federal. Na linha de frente da defesa do governo está o petista José Roberto Forzani que descarregou as baterias no colega de parlamento inclusive com acusações com relação à campanha estadual do ano passado do tucano que seria, segundo o petista, a candidatura representante da corrupção no Estado, uma vez que, segundo Forzani, o tucano teria recebido apoio de vários políticos condenados por corrupção.