Polí­tica

Foto: Divulgação

Uma Caminhada em favor da democracia e contra o pedido de Impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) acontecerá em Palmas neste sábado, 12, saindo do estacionamento da Galeria Bela Palma. A organização é de alguns movimentos organizados e também de alguns membros do Partido dos Trabalhadores no Estado, porém é aberta a todos que queiram participar.

Além da caminhada um grupo que é contra o Impeachment está fazendo uma campanha nas redes sociais com as hastags “Fora Cunha”, “Fica Dilma” e “Não vai ter Golpe”. A intenção é reagir às ações coordenadas da oposição que se articula para de fato tentar derrubar a presidente Dilma, eleita democraticamente por maioria dos votos no pleito do ano passado.

No Estado, a classe política ainda se divide sobre o assunto. O governador Marcelo Miranda (PMDB) já se manifestou abertamente contra o impeachment. “Jamais defenderia o impeachment da presidente Dilma, por inúmeros motivos. Especialmente, pelo fato de defender o processo democrático, decorrente do resultado das eleições. Os argumentos  para a quebra do resultado das urnas, que elegeram a presidente, devem ter respaldos cabíveis e legais. Isso não se tem. É lamentável saber, que os argumentos favoráveis a este movimento contrário à gestão da presidente Dilma estão vinculados a interesses político-partidários”, disse o governador.

Dentre os deputados federais e senadores da bancada do Estado poucos se manifestaram abertamente sobre o assunto. Apenas Ataídes Oliveira (PSDB) se colocou a favor do impeachment até o momento.

Impeachment

O ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu esta semana suspender a formação e a instalação da comissão especial que irá analisar o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados.