Saúde

Foto: Lino Vargas,

O zica vírus tem preocupado a população brasileira. Transmitido pela piscada do mosquito Aedes Aegypti, - o mesmo que transmite a dengue - o vírus pode passar de mãe para filho durante a gravidez provocando microcefalia no bebê. Em ação preventiva para combater os focos do mosquito, a Prefeitura de Gurupi por meio da Secretaria da Saúde, realizou na manhã desta quarta-feira, 16, o Dia D da Faxina nos bairros Alto dos Buritis, Sevilha e Setor Leste.

Dentre as maiores cidades tocantinenses Gurupi não tem nenhum caso de microcefalia causada pelo zica vírus. O Ministério da Saúde já confirmou 134 casos no Brasil. No Tocantins já são cinco casos: três em Palmas, um em Araguaína e outro em Colinas.

O primeiro Dia D da Faxina iniciou-se na Unidade Básica de Saúde do Jardim Sevilha e envolveu mais de 400 pessoas, dentre servidores da Secretaria da Saúde, Departamento de Postura, Secretaria da Infraestrutura, Vigilância Sanitária, Corpo de Bombeiros, Samu e Polícia Militar. Mais de 400 imóveis foram vistoriados, além de locais públicos e lotes baldios.

Prevenção

O prefeito de Gurupi, Laurez Moreira, acompanhou os trabalhos e destacou a prevenção eficiente do município.  “Gurupi tem um dos menores índices de dengue, quase zeramos, e sempre tivemos o cuidado de fazer o trabalho preventivo. Temos que cuidar antes do problema chegar”, ressaltou.

A secretária da Saúde de Gurupi, Sueli Aguiar, afirmou que esta foi a primeira ação e todos os bairros da cidade serão visitados pelo projeto. Em janeiro ela anunciou a Semana D da Faxina, uma ação mais ostensiva com o objetivo de prevenir e combater o zica vírus. “O município está preocupado com o vírus. Não se sabe muito sobre ele e é um dos mais perigosos. Esperamos que a população contribua porque 80% dos focos são encontrados dentro das residências”, afirmou.

Ação com resultados positivos

Os quintais fechados terão os portões destrancados para averiguação. Um chaveiro acompanhou a ação junto com a Polícia Militar. “Tanto a equipe da dengue, como o departamento de postura e vigilância sanitária tem poder para adentrar na residência e fazer a inspeção”, informou o coordenador de combate a dengue, Antônio Luiz.

A Assessora em Saúde de Doenças Vetoriais afirmou que toda equipe da secretaria de saúde encontra-se preparada para atender a população gurupiense e anunciou a implantação da unidade sentinela no Setor Vila Nova, que vai ser a unidade referência dentro do município contra o Zika Vírus. “Quando assumimos a gestão tínhamos 789 casos confirmados de dengue. Hoje vamos fechar a gestão com 43”, explicou Danyella sobre os resultados positivos da saúde em Gurupi.

Orientações

O mosquito da dengue também transmite a febre chikungunya, que atinge as articulações. O vírus avança nas juntas dos pacientes e causa inflamações com fortes dores acompanhadas de inchaço, vermelhidão e calor local, segundo informações do Ministério da Saúde.

A febre chikungunya, dengue e zica vírus têm os mesmos sintomas: febre, dor de cabeça, dor atrás dos olhos e dores nas articulações. Caso sinta esses sintomas, a Secretaria Municipal de Saúde recomenda o paciente a procurar a Unidade Básica de Saúde mais próxima.

Microcefalia

Trata-se de uma malformação congênita, em que o cérebro não se desenvolve de maneira adequada. Neste caso, os bebês  nascem com perímetro cefálico (PC) menor que o normal, que habitualmente é superior a  32 cm.

Ministério da Saúde

Ministério da Saúde confirmou no sábado (28/11) a relação entre o vírus Zika e o surto de microcefalia na região Nordeste. O Instituto Evandro Chagas, órgão do ministério em Belém (PA), encaminhou o resultado de exames realizados em um bebê, nascida no Ceará, com microcefalia e outras malformações congênitas. Em amostras de sangue e tecidos, foi identificada a presença do vírus Zika.

A partir desse achado do bebê que veio à óbito, o Ministério da Saúde considera confirmada a relação entre o vírus e a ocorrência de microcefalia. Essa é uma situação inédita na pesquisa científica mundial.

Recomendação

O Ministério da Saúde reforça às gestantes que não usem medicamentos não prescritos pelos profissionais de saúde e que façam um pré-natal qualificado e todos os exames previstos nesta fase, além de relatarem aos profissionais de saúde qualquer alteração que perceberem durante a gestação. Também é importante que elas reforcem as medidas de prevenção ao mosquito Aedes aegypti, com o uso de repelentes indicados para o período de gestação, uso de roupas de manga comprida e todas as outras medidas para evitar o contato com mosquitos, além de evitar o acúmulo de água parada em casa ou no trabalho.