Polí­tica

Foto: Divulgação

Durante sessão extraordinária da Câmara de Palmas nesta última quarta-feira, 16, o vereador professor Júnior Geo (PROS) externou preocupação com os projetos de lei complementares do Poder Executivo da Capital que têm entrado na Casa de Leis já nos últimos três dias de atividade do Legislativo Municipal e colocados imediatamente em votação. Este fato, para o parlamentar, demonstra falta de planejamento da gestão e não permite que as propostas sejam devidamente analisadas pelos vereadores.

“Nós precisamos nos preocupar para que nenhum prejuízo chegue à sociedade palmense e aqui somos responsáveis por analisar com os devidos critérios aquilo que é proposto pelo Executivo”, destaca. Geo também enfatiza que segundo divulgado pela imprensa local, ainda esta semana o reajuste do IPTU, previsto para os lotes aprovados este ano na Capital, pode ser colocado em votação com regime de urgência na Câmara.

Para ele, esta ausência de planejamento da gestão prejudicará milhares de palmenses. “As demissões em massa que ocorreram na Grécia, por exemplo, foram fruto de um planejamento inadequado. Aqui, apesar da arrecadação ter aumentado, correremos o mesmo risco se todas as decisões não forem bem analisadas”, salienta. Na oportunidade, o parlamentar pediu aos vereadores sensibilidade para tratar as matérias que estão entrando na Casa neste fim de ano, pois uma delas diz respeito à regularização de áreas doadas a associações e entidades religiosas, que por sua vez entrou na Câmara sem os documentos mínimos necessários à apreciação do projeto.