Palmas

Foto: Divulgação

O esforço para que se mantenha a isenção do ICMS para o diesel consumido pelas empresas de Transporte Urbano no Estado provocou uma audiência entre o governador e representante do setor nesta terça-feira, 12, às 16 horas, no Palácio Araguaia.

Por intermédio do deputado Ricardo Ayres (PSB), Marcelo Miranda (PMDB) receberá o presidente do Sindicato das Empresas de Transportes Coletivo Urbano de Passageiros do Tocantins (Seturb), José Antônio dos Santos Filho, o Toninho da Miracema, e os secretários Christian Zini e Cláudio de Araújo Schüller, titulares das pastas municipais de Acessibilidade, Mobilidade, Trânsito e Transportes, e de Finanças, respectivamente, além do próprio parlamentar.

Ocorre que o prazo de isenção do imposto do combustível já se esgotou e caso a mesma não seja renovada a consequência será o acréscimo de R$ 0,14 centavos por passageiro na tarifa de transporte urbano, em Palmas, que assim, pode passar de R$ 2,95 para R$ 3,09.    

Ricardo Ayres, também presidente da Comissão de Defesa do Consumidor na AL, ressalta que o objetivo é impedir que o cidadão seja afetado por mais um reajuste advindo da crise que afeta o País em geral. “Não podemos permitir mais um custo para a população. Acredito que o governador se sensibilizará com essa demanda e renovará a isenção”, conclui Ayres.

Custo-benefício

“É fundamental que se mantenha a isenção para que se preserve a continuidade do serviço sem um novo custo à comunidade”, observa Toninho da Miracema, ao explicar que o reajuste do serviço é uma consequência das  reações inflacionárias em produtos como combustível e outras demandas como aumento no salário de funcionários.  “Se o custo do serviço é maior, consequentemente a tarifa se torna maior”, ressalta, ao observar que a articulação do deputado junto ao governador gera uma expectativa positiva para o setor. 

O secretário Christian Zini, que também é presidente do Conselho de Transportes no município, destaca que a grande luta através da Secretaria sempre foi manter a tarifa do transporte, mas sem deixar de investir em melhorias. “A manutenção desse incentivo pelo Governo é um benefício exclusivo para a população que se utiliza do transporte público e contribui para que possamos continuar investindo”, diz Zini.