Educação

Foto: Divulgação

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) abriu, nessa terça-feira, 12, as inscrições para bolsistas alfabetizadores, coordenadores de turmas e tradutores-intérpretes da Língua de Sinais (Libras), que tenham interesse em trabalhar na alfabetização de jovens, adultos e idosos, no âmbito do Programa Brasil Alfabetizado. Os candidatos às vagas têm até o dia 26 de fevereiro para realizarem as inscrições, por meio da entrega de todos os documentos exigidos no edital, nas Diretorias Regionais de Educação (DRE’s).  

No total, a secretaria oferta 1.550 vagas, distribuídas em: 1.100 para alfabetizadores, 250 para coordenadores de turmas e 200 para tradutores-intérpretes.  Para os alunos, serão ofertadas o total de 15 mil vagas para cursos, distribuídos nos 139 municípios do Estado, na modalidade Formação Inicial e Continuada (FIC).

O objetivo do programa é promover a superação do analfabetismo entre jovens com 15 anos ou mais, adultos, idosos, e contribuir para a universalização do Ensino Fundamental no Brasil. Sua concepção reconhece a educação como direito humano e a oferta pública da alfabetização como porta de entrada para a educação e a escolarização das pessoas ao longo de toda a vida.

Entre os requisitos exigidos no edital está a declaração comprovando experiência anterior em educação na área de alfabetização, preferencialmente, em educação de jovens e adultos, emitida por Unidade Escolar reconhecida e autorizada pelos órgãos competentes.

De acordo com o diretor de Projetos e Programas Educacionais da Seduc, Felipe Carvalho, neste ano o órgão triplicou o número de vagas para os professores-monitores. “Nossa meta é trabalhar para reduzir o índice de analfabetismo no Estado e levar a educação Integral e Humanizada a todos os municípios do Tocantins”, afirmou.

O processo seletivo será realizado em três etapas: a primeira, em caráter eliminatório, que será feita através da inscrição e entrega da documentação exigida; a segunda, em caráter classificatório, será feita por meio de elaboração do texto; e a terceira, em caráter classificatório, que será a análise da documentação exigida.

Entenda

O MEC realiza, desde 2003, o Programa Brasil Alfabetizado (PBA), voltado para a alfabetização de jovens, adultos e idosos. O programa é uma porta de acesso à cidadania e o despertar do interesse pela elevação da escolaridade.

O Brasil Alfabetizado é desenvolvido em todo o território nacional, com o atendimento prioritário a municípios que apresentam alta taxa de analfabetismo, sendo que 90% destes localizam-se na região Nordeste. Esses municípios recebem apoio técnico na implementação das ações do programa, visando garantir a continuidade dos estudos aos alfabetizandos. Podem aderir ao programa por meio das resoluções específicas publicadas no Diário Oficial da União, estados, municípios e o Distrito Federal.