Estado

Foto: Divulgação

Com a finalidade de combater o trabalho escravo contemporâneo e promover os direitos dos trabalhadores tocantinenses, a Comissão Estadual para a Erradicação do Trabalho Escravo no Tocantins (Coetrae-TO); grupo formado por diversas instituições e órgãos, presidido pela Secretaria de Estado de Defesa e Proteção Social (Sedeps); realizará na próxima terça-feira, 26, o Seminário Estadual sobre Trabalho Escravo Contemporâneo, no auditório do Palácio Araguaia, em Palmas, das 8 às 18 horas. Os interessados em participar do evento pode fazer as inscrições no seguinte endereço defesasocial.to.gov.br.

O trabalho escravo contemporâneo é caracterizado pelo trabalho forçado e a qualquer tempo, em condições indignas ao ser humano, sendo normalmente controlado mediante fraude ou ameaça e violência à integridade física, à liberdade e/ou à vida. As principais atividades que escravizam o ser humano é a construção civil, indústria têxtil e produção rural.

“O Seminário Estadual sobre Trabalho Escravo Contemporâneo tem o objetivo de convidar a sociedade para debater sobre a existência desse tipo de violação dos direitos humanos ainda neste século e com isso combatê-la. Estima-se que existam mais de 27 milhões de escravos e escravas em todo o mundo, compõem esse quadro homens, mulheres e crianças, tanto no campo quanto na cidade. Precisamos colocar esse assunto em pauta e com isso discutir qual é o papel de cada um para mudar essa realidade que acomete o povo brasileiro e tocantinense”, falou a presidente da Coetrae e secretária de Defesa e proteção Social, Gleidy Braga.

O seminário faz parte da programação da Semana Nacional de Combate ao Trabalho Escravo e contará com a participação de representantes da Comissão Pastoral da Terra (CPT), da Comissão Nacional para Erradicação do Trabalho Escravo (Conatrae), Federação dos Trabalhadores em Agricultura do Estado do Tocantins (Fetaet), da Divisão de Fiscalização para Erradicação do Trabalho Escravo (Detrae) do Ministério do Trabalho e Emprego,Coordenadoria Nacional de Erradicação do trabalho Escravo (Conaete) do Ministério Público do Trabalho, Procurador do Trabalho no Tocantins, Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa e dos membros da Coetrae-TO.

Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo

O dia 28 de janeiro, no Brasil, é celebrado o dia nacional de combate ao trabalho escravo. A data foi escolhida em homenagem aos auditores-fiscais do trabalho Eratóstenes de Almeida, João Batista Soares Lage e Nelson José da Silva, e ao motorista Ailton Pereira de Oliveira, assassinados quando investigavam denúncias de trabalho escravo na zona rural do município de Unaí (MG) no ano de 2004. A data foi oficializada em 2009.