Estado

Foto: Divulgação

Na data em que é celebrado o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo, 28 de janeiro, a Comissão Estadual de Erradicação do Trabalho Escravo (Coetrae-TO), presidida pela Secretaria Estadual de Cidadania Justiça (anterior Secretaria Estadual de Defesa e Proteção Social - Sedeps), assina juntamente com outras instituições uma Carta Aberta à Sociedade Civil produzida pelo Grupo de Trabalho (GT) criada no âmbito da Comissão Nacional de Erradicação do Trabalho Escravo (Conatrae).

A carta tem a finalidade de sensibilizar, mobilizar, infletir a rota, resistir e combater com convicção o trabalho escravo no Brasil e será distribuída durante evento, alusivo ao Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo, que ocorrerá no próximo dia 3, em Brasília.

São signatários da carta a Conatrae, as Coetrae’s de 23 estados e a Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho ( Anamatra). “A intenção da ação é informar, registrar, combater e conclamar o poder público e a sociedade para se posicionar contra a escravidão contemporânea e promover a condições de dignidade e de liberdade do trabalhador”, destaca a presidente estadual da Coetrae-TO e secretaria estadual de Cidadania e Justiça, Gleidy Braga.

Dia Nacional do Combate ao Trabalho Escravo

Dia 28 de janeiro é o Dia Nacional do Combate ao Trabalho Escravo. A data escolhida homenageia o motorista Ailton Pereira de Oliveira e os auditores Eratóstenes de Almeida, João Batista Soares Lage e Nelson José da Silva, assassinados há 12 anos quando investigavam denúncias de trabalho escravo em Unaí (MG).

Carta aberta à sociedade civil .pdf