Economia

A confiança do empresário de Palmas/TO continua aumentando. A pesquisa que mede o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) de janeiro subiu para 82,4 pontos, revelando um crescimento de 3,4 pontos com relação a dezembro último, que registrou 79 pontos. Mesmo com mais esse aumento, no comparativo com o mesmo período do ano passado, a queda constante fica evidente, já quem em janeiro de 2015 este índice estava em 106,2 pontos, revelando uma redução de 23,8 pontos. A pesquisa é realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e a Fecomércio Tocantins.

Segundo o presidente da Fecomércio Tocantins, Itelvino Pisoni, esse otimismo do empresariado é muito importante para o cenário econômico do Estado. “Em um início de ano ainda um pouco incerto para a economia nacional, ver que os nossos empresários estão confiantes não deixa de ser positivo”, avaliou Pisoni.

Mas a condição atual da economia brasileira continua preocupando os empresários palmenses. Dos entrevistados, 96% se mostraram pessimistas. Na condição atual do setor do comércio, outro pessimismo: 84,9% disseram que esta piorou. Negativa também para a situação atual da empresa, acusada por 68,9%.

O otimismo empresarial aparece na expectativa sobre a economia brasileira, confirmada por 53,3%. E na expectativa para o comércio, positivada por 67,8% dos empresários. A expectativa da empresa se manteve igual a dezembro, em 81,9% dos que afirmaram que preveem melhoras. Quanto à situação atual do estoque, 53,3% disseram que o mesmo está adequado.

Sobre a expectativa de contratação de funcionários, 67,6% acusaram provável redução desse quadro. O nível de investimento da empresa também acusou redução, confirmada por 69,1%.

Um indicador antecedente de vendas do comércio, do ponto de vista dos empresários do comércio da Capital, a ICEC de janeiro foi realizada com 120 empresários nos últimos 10 dias do mês de dezembro de 2015. Os números aqui apontados são do índice geral, ou seja, foi obtido entre as empresas que possuem até 50 funcionários e as com mais de 50 empregados. A pesquisa avalia os seguintes itens: condição atual da economia brasileira; condição atual do setor; condição atual da empresa; expectativa para a economia brasileira; expectativa para o comércio; expectativa da empresa; expectativa de contratação de funcionários; nível de investimento da empresa; e situação atual dos estoques.