Campo

Foto: Elmiro de Deus

Das 60 associações de agricultores que estavam inadimplentes com o Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF), 32 associações, um total de 53,4% já deu entrada na documentação necessária para analisar e, posteriormente renegociar as dívidas, junto às instituições financeiras.

O produtor Roni José Miranda, da associação de agricultores do município de Pau D´arco, foi um dos primeiros a entregar a documentação completa para encaminhamento ao agente financeiro. “Estamos realizando um grande sonho, há cinco anos estamos tentando legalizar, mas agora acreditamos que vamos conseguir. Queremos regularizar para ter acesso a outros financiamentos”, argumentou.

Francisco Pereira de Souza, integrante da associação Chapadinha, município de Goianorte, explica as vantagens dos produtores legalizarem suas terras. Em sua propriedade, ele planta abacaxi, mandioca para produzir farinha e, futuramente pretende implantar uma casa de farinha. “A legalização é uma garantia a mais para nós, temos muitos projetos agrícolas para executar e, a partir de agora poderemos colocar em prática com segurança”, projetou.

Mobilização

Segundo o superintendente de Agricultura Familiar da Secretaria Estadual de Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária (Seagro), Romão Gomes Vanderley, explica que diversas instituições estão envolvidas na mobilização para que os produtores legalizem suas terras. Entre elas, Unidade Técnica Estadual (UTE), Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), e Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Tocantins (Fetaet). “Estamos participando nas assembleias dos sindicatos rurais, mobilizando as associações de produtores. É importante que liguem para agendar o atendimento na UTE para entrega da documentação”, informou.

Negociação

A UTE informa que os projetos de assentamentos que dependem apenas de renegociação, a transação pode ser feita direto nas agências bancárias. As associações que não precisam substituir associados podem preencher um requerimento e negociar direto com as instituições financeiras.  

Prazo

O prazo para apresentar documentação necessária para regularizar e renegociar as dívidas junto aos agentes financeiros se encerra em 30 de junho.

O modelo de requerimento do Programa Nacional de Crédito Fundiário para renegociação das dívidas direto com as agências bancárias pode ser acessado na página da Seagro, pelo link http://seagro.to.gov.br/agricultura-familiar/credito-fundiario