Polí­tica

Foto: Divulgação Durante visita ao Conexão Tocantins, deputado não poupou críticas ao prefeito da capital Durante visita ao Conexão Tocantins, deputado não poupou críticas ao prefeito da capital

Em visita ao Conexão Tocantins na manhã desta segunda-feira, 22, o deputado federal Vicentinho Júnior, que recentemente deixou o PSB -partido comandado no Estado pelo prefeito de Palmas, Carlos Amastha - para se filiar ao PR, não poupou críticas ao atual gestor da capital.

Segundo o deputado o maior defeito do prefeito é “roubar” o trabalho da bancada federal em Brasília. “Ele vem aqui (em Palmas) dizer para o povo, enganar o povo, que esses asfaltos nas quadras ele conseguiu em Brasília, com despacho, de contar piada para a presidente (Dilma Rousseff). Ele vai lá, faz gracinha dele e acha que aquilo ali que ele faz conquista os R$ 69 milhões. Há três anos, ainda nem prefeito ele era, era o prefeito Raul no final do mandato, o ministro da Cidades na época era meu colega hoje, Aguinaldo Ribeiro, da Paraíba. Conseguimos lá com ele empréstimo via FGTS que o Governo do Estado contraiu, não só para Palmas. Foram R$ 69 milhões para Palmas, R$ 26 milhões para Porto (Nacional), R$ 22 para Paraíso (do Tocantins), R$ 22 para Colinas e R$ 44, se não me engano para Araguaína. Deu quase R$ 198 milhões na época, contraídos pelo Governo do Estado para esses municípios. Tem despacho, tem ofício, tem foto”, relata Vicentinho Junior.

Segundo o deputado, a campanha que está por vir no município vai mostrar quem são os verdadeiros responsáveis pelas liberações dos recursos para a capital junto ao Governo Federal. “Vai ter depoimento dos ministros de cada pasta. Foram os próprios prefeitos da época que colocaram as suas equipes municipais para correr em chuva e em sol para fazer os devidos levantamentos que a Caixa (Econômica Federal) exigia para fazer contrato. Aí, hoje, ele (Amastha) bate palmas, faz barulho nos sites, dizendo que é mérito dele. Não, não é não! Dizendo que as UBS (Unidades Básicas de Saúde) que tem aqui em Palmas construídas é mérito dele, não é não! Na época do Raul teve sete UBS do deputado federal na época, o Vicentinho Alves (hoje senador). Tem da deputada Dorinha, tem do Cesar Halum. Não tem meu porque nem deputado eu era. Olha, vai chegar o momento que a verdade vai ter que vir ao público. Quem é dono do trabalho!”, salientou o deputado.

Vicentinho, entretanto, afirma que informação hoje está muito fácil. “Hoje só se engana quem quer ser enganado”, diz. Segundo o deputado, “não tem político no Brasil que consiga enganar o povo por muito tempo. Não é à toa que, reflexo disso, as pesquisas tem mudado muito o cenário. Não é à toa que o próprio prefeito lançou um candidato a deputado federal aqui na capital (Tiago Andrino) e não teve sucesso. Acho que até por não ter tradição com o Tocantins e nenhuma verdade no mandato. Pegaram um guaranazinho muito ruim e quiseram fazer dele uma Coca-Cola e não deram conta ainda”, alfinetou.

Segundo o deputado, não adianta o prefeito querer buscar uma reeleição, com o mesmo discurso de quatro anos atrás, afirmando que não pratica o que os políticos do Tocantins praticam, dizendo: “eu não faço a velha política”. Segundo ele, o prefeito já rodou em todos os grupos políticos do Estado. “De Siqueira a Marcelo, de Kátia a Vicentinho e até hoje não tem um DNA político no Tocantins”, afirma o parlamentar.

Vicentinho Júnior ainda indaga: “O que tem em Palmas que segura o prefeito Amastha?! Ele mesmo fala que vendeu tudo que tinha para ser prefeito da Capital. Deixou de ser prefeito, o que segura ele em Palmas? É a casa em Taquari (dita moradia do prefeito) que ele foi lá dizendo que só sairia depois que tivesse o asfalto feito, que até o dia de hoje não tem um palmo de asfalto feito lá?! Cadê que ele volta lá para o Taquari? Não é por aí que se faz!”, analisa o deputado que afirma ser este, inclusive, o motivo dele e seu pai senador Vicentinho Alves não terem vinculação política com o prefeito.

Candidaturas da Oposição

Vicentinho analisou o cenário das eleições deste ano na capital e disse que, quanto mais opção tiver, melhor será para o eleitor errar menos, “falo como cidadão, eu quero ter várias opções. Essa história de dizer que três, quatro candidaturas favorece o prefeito; não! O prefeito está tão ruim que com dez candidaturas ele sai do mesmo jeito”, salientou.

O republicano ainda afirmou que será preciso comparar o que cada gestão fez por Palmas até hoje para que o eleitor não se engane novamente. “Eduardo (Siqueira Campos) foi prefeito, depois passou Odir (Rocha), Fenelon (Barbosa – primeiro prefeito da capital), Nilmar (Ruiz), Raul e hoje o Carlos Amastha. Comparar todos, desde o primeiro prefeito da Capital, ao que está agora, tem que comparar para não se deixar enganar”.

IDH de Destaque

Segundo o parlamentar, só sabe dar valor ao que virou Palmas hoje quem viveu todas as etapas pelas quais a capital passou. "Quem dormia em barracão e tinha que estar chutando cobra coral e dando tapa em escorpião. Mulheres dormiam de um lado e os homens de outro, só quem viveu aquilo. Quem viu a primeira missa na Praça dos Girassóis. Só quem viveu sabe o que é Palmas hoje. Você não pode chegar aqui com a base toda feita e achar, porque pintou meio fio e plantou grama que você foi o bom prefeito da República. Não é por aí! Teve uma história de muita gente que sofreu, que dedicou suas vidas, saúde, que construiu tudo que está aí para ver o que é hoje”, arrematou o parlamentar ao afirmar que a tentativa do prefeito de tomar para si o bônus do Índice do Desenvolvido Humano - IDH positivo de Palmas é uma piada. “Para mim foi uma piada de muito mal gosto![...] ele é um usurpador do tempo e do trabalho alheio”, arrematou Vicentinho Junior. (Atualizada às 20h)