Meio Ambiente

Foto: Fernando Alves  Planejamento de ação integrada entre Semarh, Naturatins e Defesa Civil tem foco na prevenção Planejamento de ação integrada entre Semarh, Naturatins e Defesa Civil tem foco na prevenção

Tendo a prevenção como objetivo, o Governo do Tocantins já começa a colocar em prática as ações de combate às queimadas e incêndios florestais. O planejamento das ações foi iniciado na tarde desta última segunda-feira, 22 de fevereiro, entre a Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), a Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil e o Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins).

A ação integrada entre os órgãos permite, por exemplo, reforço nas brigadas de incêndio, troca de informações sobre focos de calor e o monitoramento da atuação dos brigadistas, que deve ser intensificada este ano, tudo isso visando retirar o Tocantins da lista dos campeões de registros. A previsão é de que seja investido cerca de R$ 1 milhão para a contratação dos brigadistas, recurso oriundo do Fundo Estadual de Recursos Hídricos.

A secretária do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Meire Carreira, ressaltou que o trabalho que normalmente é iniciado em julho, já na fase de supressão, ou seja, combate local aos focos de incêndio, este ano será principiado por volta de maio, com foco na educação ambiental e prevenção. “Iniciaremos nesta semana as reuniões técnicas com membros deste comitê para tratar do assunto como prioridade e planejar as ações de forma preventiva, na tentativa de evitar grandes ocorrências e chamar a atenção da comunidade, incluindo os produtores rurais, sobre a importância do manejo do fogo”, disse.

“A portaria do Ministério do Meio Ambiente nos dá o norteamento necessário para que possamos colocar o plano na mesa e trabalhar de maneira integrada, com ações coletivas de enfrentamento”, pontua a secretária, citando a publicação antecipada do MMA que declarou estado de emergência ambiental no Tocantins entre os meses de maio a dezembro.

De acordo com o vice-presidente do Naturatins, Edson Cabral, a antecipação das ações de combate aos incêndios florestais e queimadas no Tocantins se dá devido aos efeitos dos fenômenos climáticos identificados no Estado, com a diminuição do período chuvoso e também para que haja um melhor planejamento dos recursos financeiros destinados para a ação. 

“Quanto mais cedo começarmos, melhor será o combate, tendo em vista a particularidade deste ano em que foram identificadas alterações climáticas. Mas também nossa preocupação é que possamos ter uma melhor utilização dos recursos financeiros destinados para esta atividade”, ressaltou.

Além da contratação de brigadistas, que será antecipada este ano, está prevista a instalação do Centro Especializado em Manejo do Fogo, uma parceria entre a Semarh e a Universidade Federal do Tocantins (UFT) de Gurupi, que deverá atuar no campo do estudo, pesquisa e desenvolvimento em ciência, ecologia e manejo do fogo com atividades como a Academia do Fogo, que capacitará as brigadas em vários níveis. A ideia, ainda, é ampliar ações como a queima prescrita, realizada em 2015 em parceria com a Universidade de Brasília (UnB), que mostrou resultados positivos auxiliando na redução do número de focos em municípios como Mateiros.

Segundo o superintendente da Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil, tenente coronel bombeiro Wesley Abreu, a participação do efetivo do órgão será de formar, capacitar e acompanhar as equipes de brigadistas que vão atuar no combate ao fogo no Estado. “Além de formadores de equipes, a atuação da Defesa Civil será de monitorar todos os focos de calor e registros de incêndios para que possamos, com base nestes dados, articular ações que visem minimizar os efeitos das queimadas no Tocantins”, ressaltou.