Saúde

Foto: Divulgação

Termina no próximo dia 11 de março o prazo para as secretarias municipais de saúde realizarem a adesão à Campanha Nacional de Hanseníase, Geohemintíases, Tracoma e Esquistossomose de 2016. A campanha está prevista para acontecer no mês de agosto deste ano e no Tocantins 77 municípios são considerados prioritários pelo Governo Federal para execução de ações voltadas a prevenção, diagnóstico precoce e controle destes agravos.

A exemplo de campanhas anteriores, com a ajuda das escolas, a campanha realizará busca ativa dos casos novos de hanseníase, tratamento coletivo para as verminoses e exames para a detecção e tratamento do tracoma em crianças de cinco a 14 anos.

A assessora técnica da Área de Assessoramento da Hanseníase da Secretaria do Estado da Saúde (Sesau), Liz Freire, explica que os demais municípios do estado que desejarem realizar as ações espontaneamente também podem aderir à campanha no mesmo prazo.

A partir da adesão, a expectativa é de que em cada município sejam realizadas atividades educativas nas escolas que ajudem na identificação de crianças em idade escolar de sinais e sintomas dos três agravos e estreitamento do contato dos serviços de saúde da comunidade com as famílias destas crianças. “Assim, familiares de uma criança diagnosticada com hanseníase, por exemplo, terão a chance de receber o diagnóstico e tratamento gratuitos rapidamente, tornando mais efetiva a interrupção do ciclo de transmissão da doença”, acrescenta Liz.

Nas escolas

Em relação à campanha da Hanseníase, a proposta é que sejam utilizadas fichas de autoimagem, que serão distribuídas aos alunos para que os pais preencham os dados indicando manchas suspeitas após avaliação da pele do aluno. As fichas serão avaliadas pelos profissionais de saúde e os casos com lesões suspeitas de hanseníase serão encaminhados à Unidade de Saúde para diagnóstico e tratamento, caso necessário.

Para facilitar o diagnóstico do tracoma, doença ocular causada por uma bactéria, será realizado exame ocular externo por profissionais capacitados e os casos positivos e seus contatos domiciliares serão encaminhados para tratamento.

Com relação às verminoses, doenças parasitárias intestinais que prejudicam, especialmente, o desenvolvimento físico e mental, serão oferecidos medicamentos às crianças, após prévia autorização familiar para administração.

Adesão

 O Ministério da Saúde fornecerá aos municípios prioritários os medicamentos necessários para cada agravo e os materiais impressos específicos que serão utilizados durante o processo de trabalho. Além disso, os estados e municípios contarão com o apoio técnico da equipe da Coordenação de Hanseníase e Doenças em Eliminação (CGHDE).

Os municípios interessados devem formalizar a adesão através do preenchimento de formulário eletrônico disponível no endereço eletrônico http://formsus.datasus.gov.br/site/formulario.php?id_aplicacao=23801 e anexado uma cópia de Termo de Compromisso assinado pelo secretário municipal.