Campo

Foto: Divulgação

Em Araguaçu, município localizado a 440 km de Palmas, cerca de 100 pessoas participaram da Conferência Territorial de Assistência Técnica e Extensão Rural do Território Sul Tocantinense, que abrange 14 municípios. Durante as atividades, encerradas na tarde de sexta-feira, 26, os conferencistas debateram amplamente propostas de melhorias para os agricultores familiares do território. 

O presidente do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), Pedro Dias, participou do evento destacando a importância desse momento onde um novo caminho está sendo trilhado para a agricultura familiar. “A agricultura familiar vive um momento ímpar, procurando emancipar o agricultor, dando a ele mais condições de trabalho e comercialização para seus produtos. Por isso, esse encontro é uma oportunidade para efetivarmos propostas que garantam cada vez mais a qualidade de vida dessas famílias, ouvindo cada uma em suas prioridades”, ponderou.

O delegado do Ministério do Desenvolvimento Agrário, no Tocantins, Silvio Ney Barros Monteiro, ao se dirigir aos presentes, parabenizou os extensionistas do Ruraltins pela mobilização, articulação e empenho em trazer os agricultores para o encontro. Para ele, as conferências territoriais são espaços importantes de diálogos e estratégias de debates da política pública de assistência técnica e extensão rural. “São encontros participativos que fortalecem os colegiados territoriais e a parceria com o Ruraltins tem sido essencial para a execução desse trabalho", frisou.

De acordo com Antônio Batista de Sá, vice-coordenador do território sul tocantinense, apesar dos avanços ocorridos nos últimos anos, a assistência técnica necessita de mais investimentos em infraestrutura e capacitação para atender às demandas da agricultura familiar. “É isso que estamos propondo, mais investimentos, além de políticas que venham para atender os anseios dos agricultores familiares respeitando a sua realidade”, disse. 

João Werreriá, da Tribo Karaja, localizada na Ilha do Bananal, participou pela primeira vez de uma conferência. Ele acredita que o debate, voltado para uma assistência técnica cada vez mais fortalecida e contextualizada, favorece quem tira da terra sua sobrevivência. “Temos a nossa cultura e queremos produzir alimentos de forma saudável e de acordo com as necessidades do nosso povo. Esse espaço é fundamental para mostrar quem somos e o que precisamos”, disse.

Ao final, foram eleitos 18 delegados que vão representar o território na conferência estadual, além das propostas. A etapa estadual acontecerá nos dias 14 e 15 de abril, em Palmas.

Conferências Territoriais 

Ao todo, o Governo do Estado, por meio do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) e da Secretaria de Estado da Agricultura e Pecuária, em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), realizou sete conferências territoriais para debater a Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), entre os dias 12 e 27 de fevereiro, abrangendo 104 municípios. De cada conferência, saiu um documento com as demandas e as sugestões para a Conferência Estadual.

Público Alvo

Participaram das Conferências, agricultores familiares, assentados da reforma agrária, camponeses, extrativistas, pescadores artesanais, povos indígenas, quilombolas, povos e comunidades tradicionais, mulheres, jovens, entidades não governamentais prestadoras de serviços de Ater, entidades governamentais executoras de serviços de Ater, representantes do poder público e da sociedade.m