Campo

Foto: Divulgação

As condições climáticas não favoreceram o desenvolvimento da soja no Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia) na atual temporada. O plantio da safra de verão, que deveria ter sido concluído no final de 2015, se estendeu até o início deste ano por falta de chuvas. Com base nesse cenário, a Expedição Safra vai percorrer mais de 5 mil quilômetros pela nova fronteira agrícola brasileira para investigar a situação das lavouras de soja.

O Matopiba expandiu em 6,4% a área destinada ao cultivo da oleaginosa para o ciclo 2015/16, mas perdeu em produtividade, segundo o Indicador Brasil da Expedição Safra. Levantamento prévio indica que os agricultores da região devem colher 2,85 mil quilos por hectares, resultado 3,3% menor que o registrado na safra passada. A queda tem como justificativa a falta de umidade causada pelo fenômeno El Niño durante o plantio e que volta a afetar as lavouras na colheita.

Técnicos e jornalistas visitam ainda o distrito de Nova Santa Rosa, em Uruçui (PI), onde ocorre o Seminário Expedição Safra 10 Anos. O encontro técnico, organizado para comemorar a primeira década de atuação do projeto e os mais de 500 mil quilômetros de estrada, ocorre na quinta-feira (10), às 10h, no Centro de Eventos da comunidade.

O Seminário vai reunir agricultores e entidades ligadas à cadeia produtiva de grãos para debater as estatísticas de produção e comercialização que influenciaram os resultados do agronegócio na última década e que ajudarão a traçar tendências para os próximos anos. Essa é a terceira de cinco etapas do Seminário Expedição Safra 10 Anos. Desde o início de fevereiro, a equipe já passou por Uberlândia (MG) e Cruz Alta (RS) e, até o final de março, desembarca para mais duas etapas no Paraguai.

Por: Redação

Tags: Expedição Safra, Matopiba