Economia

Foto: Divulgação

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou a bandeira amarela no mês de março, o que significa que a cada 100 kWh (quilowatt-hora) consumidos será cobrado o valor de R$ 1,50 nas contas de luz. A redução da bandeira vermelha para a amarela é a primeira desde janeiro de 2015, quando o novo sistema de cobrança começou e reflete o retorno das chuvas e o aumento da produção de energia elétrica pelas hidrelétricas. Mesmo assim, a Aneel alerta que a situação ainda é de cautela e que os consumidores devem manter a economia no consumo de energia.

Abril verde

A bandeira tarifária para o mês de abril deve ser anunciada no dia 24 de março, mas a agência já sinalizou que há a possibilidade de vigorar a cor verde, quando não há cobrança na conta. Além do aumento das chuvas nas regiões dos reservatórios das hidrelétricas, a redução na bandeira também acontece por causa do aumento da energia disponível, redução de demanda e a adição de novas usinas no sistema elétrico brasileiro.

Cobrança

O sistema de bandeiras tarifárias é uma iniciativa da Aneel para deixar mais claro os custos com a geração de energia elétrica que, antes, eram apresentados a cada 12 meses, junto com o reajuste anual das distribuidoras. O novo sistema rateia os custos a cada mês. Em fevereiro, a Aneel anunciou uma redução de 40% na bandeira amarela, caindo de R$ 2,50 a cada 100 kWh para R$ 1,50. A bandeira vermelha foi dividida em dois patamares: R$ 3,00 e R$ 4,50. Segundo a Aneel, a bandeira tarifária não é um custo extra na conta de luz: é uma forma diferente de apresentar um valor que já está na conta de energia, mas que geralmente passa despercebido. As bandeiras sinalizam, mês a mês, o custo de geração da energia elétrica que será cobrada dos consumidores.