Polí­tica

Foto: Divulgação

O governo Marcelo Miranda vem recebendo críticas por continuar nomeando servidores para quadro funcional do Tocantins apesar do Estado ter o segundo pior índice acima do máximo admitido para o cumprimento da LRF - Lei de Responsabilidade Fiscal, atingindo o percentual de 51,67% de gastos com pessoal, atrás apenas do Rio Grande do Norte. O limite prudencial indicado pela lei é 46,55% e o limite de alerta é de 44,1%. 

Um dos exemplos destas nomeações é a esposa o deputado estadual Valdemar Júnior, Flavilene Maria Bueno Coelho. 

A esposa do deputado foi nomeada para exercer o cargo de provimento em comissão de Superintendente de Programas da Educação Profissional da Secretaria da Educação, Juventude e Esportes, a partir de 26 de fevereiro de 2016. Isto depois do deputado ter sido convidado para se filiar ao PMDB, partido do governador, e ter deixado o PSD.  

A filiação do deputado ao PMDB deve acontecer no dia 18 de março.