Economia

Foto: Divulgação

A implantação no Tocantins de um polo de distribuição de produtos industrializados na Zona Franca de Manaus foi tema de uma série de reuniões nesta última quarta-feira, 16, no Estado do Amazonas. O secretário do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Turismo e Cultura do Tocantins, Alexandro de Castro, e o diretor de Desenvolvimento Estratégico e Atração de Investimentos, Paulo Mendonça, foram a Manaus, onde trataram do assunto com gestores de áreas como Fazenda e Planejamento, além da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas.

Na Secretaria da Fazenda, eles foram recebidos pelo secretário Afonso Lobo Moraes, acompanhado do secretário-executivo da Receita, José Eduardo Jatahy de Castro,  e do chefe da Assessoria Jurídica da pasta, Rodrigo Belém Lima. Na ocasião,  discutiram ajustes no edital de licitação, publicado no último dia 8 de março, pela Comissão Geral de Licitação (CGL) do Amazonas. O edital prevê a contratação da empresa que terá a concessão para operação do polo, que será implantado no município de Praia Norte (TO), a 619 km de Palmas. A licitação está publicada para o dia 26 de abril.

Lembrando que Tocantins e Amazonas compõem a região Norte do Brasil, o secretário enfatizou a importância do trabalho em conjunto, para fortalecer os estados. “Acredito que é nosso dever buscar  oportunidades para o desenvolvimento desta região e, para isso, devemos unir forças”, frisou.

Antes deste encontro, a implantação do polo e outros assuntos referentes ao desenvolvimento mútuo dos dois estados foram abordados em reunião com o secretário de Planejamento, Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, Thomaz Nogueira. Mais cedo, a equipe do Tocantins visitou a Federação das Indústrias do Amazonas, sendo recebida pelo presidente da entidade, Antônio Silva, e pelo chefe de gabinete corporativo, Sérgio Melo de Oliveira.

“Em todas as reuniões, discutimos a implantação do polo, levando em conta que representa uma janela de comunicação do Tocantins com o Amazonas, pela ligação hidroviária. Estamos em busca de promover mais desenvolvimento para o Tocantins a partir deste instrumento”, reforçou o diretor Paulo Mendonça.