Esporte

Foto: Divulgação Ricardo Leyser diz que crises política e econômica atrapalham a divulgar a organização da Olimpíada Ricardo Leyser diz que crises política e econômica atrapalham a divulgar a organização da Olimpíada

O ministro do Esporte, Ricardo Leyser, disse nesta quinta-feira, (7) que as crises política e econômica não afetaram a organização dos jogos Olímpicos e Paralímpicos no Rio de Janeiro, mas impediram que o trabalho realizado na organização fosse mais divulgado. Leyser participou nesta quinta-feira da reinauguração da Marina da Glória, que foi reformada pela inciativa privada e receberá competições de vela na Olimpíada e na Paralimpíada.

"O que [a crise] atrapalha é com a dificuldade de mostrar para o Brasil e para o mundo o sucesso do projeto olímpico. Estamos entregando com antecedência, muita participação privada, com qualidade, sem denúncias, problemas, mas infelizmente a gente não tem conseguido demonstrar nesse momento conturbado politicamente um grande caso de sucesso.""Infelizmente, a crise não tem permitido mostrar para o Brasil e para o mundo com a intensidade que a gente queria", afirmou Leyser, que comemorou a conclusão das obras com antecedência e participação privada.

A Marina da Glória receberá a partir de hoje o evento Rio Boat Show e será entregue ao Comitê Rio 2016 em 13 de julho para os últimos preparativos. A reforma aumentou de 140 para 415 as "vagas molhadas" da marina, de 70 para 240 as "secas", além de expandir o estacionamento e instalar nova cobertura, substituindo a tenda que havia no local.

Outra mudança é que o espaço agora passa a ser aberto ao público, já que antes apenas proprietários de embarcações podiam entrar. Os R$ 70 milhões investidos na reforma foram da BR Marinas, concessionária que administra o espaço.

"Estamos demonstrando a força do Brasil e do setor privado. Em um momento em que há uma crise e incertezas, estamos entregando um equipamento olímpico financiado pela iniciativa privada", destacou o ministro. "Jogos Olímpicos, como foi a Copa do Mundo, não são problema, são solução. Vamos abrir em abril milhares de empregos no setor de alimentação do comitê organizador. Construímos um país, desenvolvemos a economia e geramos emprego com um projeto como esse dos Jogos Olímpicos."

Ingressos

O ministro comentou também a venda de ingressos e convidou os brasileiros a comprarem entradas para esportes menos conhecidos. "O Brasil tem um problema de não conhecer todos os esportes olímpicos e não ter a tradição de ver ao vivo. Qualquer esporte nos Jogos Olímpicos é uma experiência única, sensacional", acrescentou.

Leyser disse ainda que estão sendo estudadas formas de aproveitar os Jogos Paralímpicos para formar público e aproximar o brasileiro dos atletas dessas modalidades. Entre as possibilidades, estão a compra de ingressos para usar em ações como levar alunos de escolas públicas para o evento.

"Se vai implicar em uma compra ou não [de ingressos] isso está sendo estudado ainda.". O ministro informou que a abertura da Paralimpíada, ainda com ingressos disponíveis, "será uma das coisas mais bonitas que as pessoas podem ver em suas vidas.  Será um espetáculo tocante, sensacional. Será tão espetacular quanto a da Olimpíada", concluiu. (EBC)