Saúde

Foto: Divulgação

Após receber denúncia de que profissionais da área de enfermagem estariam acumulando até três ou quatro empregos no Tocantins, em uma sobrecarga de trabalho que pode levá-los a cometer erros nos cuidados com os pacientes, a promotora de Justiça Maria Roseli de Almeida Pery encaminhou ofício ao Conselho Regional de Enfermagem (Coren), nesta sexta-feira, 15, solicitando providências.

No ofício, a representante do Ministério Público Estadual (MPE) orienta que sejam adotadas medidas de natureza ética quanto aos profissionais da área que mantenham jornada de trabalho incompatível com a necessária qualidade dos serviços. A finalidade, frisa Maria Roseli, é garantir a segurança dos pacientes.

Para que possa identificar os profissionais em situação irregular, a 27ª Promotoria de Justiça da Capital requer que o Conselho Regional de Enfermagem providencie o cruzamento de listas com a relação de profissionais que atuam na rede pública de saúde (Estado e municípios) e nas unidades privadas de saúde do Tocantins.

O ofício foi encaminhado pela promotora de Justiça ao presidente da junta governativa do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) junto ao Conselho Regional de Enfermagem (Coren).

Por: Redação

Tags: Ministério Público Estadual